EXPOSIÇÃO “AMAZÔNIA” CHEGA AO RIO DE JANEIRO

A mostra “Amazônia”, de Sebastião Salgado, chegou neste dia 19 de julho ao Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro, para uma temporada de seis meses.

Composta por 194 painéis fotográficos, a exposição tem causado impacto por onde passa – como em Paris (Philharmonie de Paris), Londres (Museu da Ciência), Roma (MAXXI Museu, até 21 de agosto), Manchester (Museu da Indústria e da Ciência, até 14 de agosto) e São Paulo (SESC Pompeia, até 30 de julho)  – lembrando o quão impressionante a vida na floresta é, seja na visão aérea que traz a curva luminosa de um rio, seja nos minuciosos adornos utilizados pelos povos originários. O patrocínio ‘master’ é da “Seguradora Zurich”, que também apoia o “Instituto Terra”, projeto dos Salgado de recomposição da mata nativa no Vale do Rio Doce, em Minas Gerais. Os patrocínios ‘ouro’ são da “Natura” e do “Itaú”.

As fotos impressas em preto e branco mostram uma natureza viva, com uma trilha sonora elaborada pelo francês Jean-Michel Jarre a partir dos sons da floresta. São o resultado de sete anos de experiências e expedições de Sebastião Salgado na Amazônia brasileira e revelam a floresta, rios e montanhas, assim como a vida em várias comunidades indígenas (estão retratados os povos Awá-Guajá, Zo’é, Suruwahá, Yawanawá, Marubo, Asháninka, Korubo, Yanomami e Macuxi). Esse denso universo marcou o olhar do fotógrafo com imagens impressionantes, em sua grande maioria mostradas ao público pela primeira vez.

Idealizada e concebida por Lélia Wanick Salgado, a mostra promove um mergulho no coração da Amazônia e é um convite para ver, ouvir e, ao mesmo tempo, refletir sobre o futuro da biodiversidade e a urgente necessidade de proteger os povos indígenas e preservar esse ecossistema imprescindível para o planeta.

“Ao projetar ‘Amazônia’, quis criar um ambiente em que o visitante se sentisse dentro da floresta, se integrasse com sua exuberante vegetação e com o cotidiano das populações locais”, comenta Lélia.

Além das imagens impressas, a exposição apresenta ainda dois espaços com projeções de fotografias. Uma delas mostra paisagens florestais musicadas pelo poema sinfônico “Erosão – Origem do Rio Amazonas”, do compositor brasileiro Heitor Villa-Lobos (1887-1959); a outra revela retratos de indígenas, com uma composição especial de Rodolfo Stroeter. Também serão exibidos vídeos com testemunhos de lideranças indígenas sobre a importância da Amazônia e os problemas enfrentados hoje em sua sobrevivência na floresta. 

Esta exposição tem o objetivo de alimentar o debate sobre o futuro da Floresta Amazônica. É algo que deve ser feito com a participação de todos no planeta, junto com as organizações indígenas”, defende Sebastião Salgado.

“Nós temos três jogos dessa exposição acontecendo na Europa. Um esteve em Paris e agora está em Avignon (no sul da França): teve milhares de visitantes em Paris e teremos mais tantos em Avignon. Temos um segundo que abriu em Londres e agora está em Manchester (no leste da Inglaterra). E o terceiro jogo que começou em Roma e ainda está em Roma: deveria terminar em fevereiro, mas teve tanto público que o encerramento ficou para abril e agora foi estendido até agosto. Então, isso mostra um interesse muito grande pelo tema. Mas o público de uma exposição é de centenas de milhares e o ideal seria mostrar essa exposição para centenas de milhões. Tudo o que pudermos fazer para essa exposição reverberar nós vamos fazer. Nós fazemos parte de um movimento. E o importante é o movimento e não há individualidade.”

VÍDEOS:

JORNAL HOJE (REDE GLOBO)

RJTV (REDE GLOBO)

JORNAL DO RIO (BAND RIO)

DIÁRIO DO RIO

SERVIÇO:

– Período: 19/07/2022 a 29/01/2023

– O Museu do Amanhã não abre nas segundas-feiras. Nos demais dias, funciona das 10:00 às 18:00 (última entrada às 17:00).

– Nas terças, a entrada é gratuita, e nos demais dias os ingressos custam R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia-entrada).

– Para qualquer dia, inclusive as terças-feiras, é necessário comprar ou retirar ingressos no site da Eventim. Não há bilheterias no Museu do Amanhã.

Meia-entrada:

  • 6 a 21 anos;
  • Cariocas: Válido para moradores ou naturais do município do Rio de Janeiro;
  • Clientes do Banco Santander: Válido somente nas compras com cartão Santander, e apenas para o titular do cartão. Favor selecionar a promoção Cliente Santander e digitar os 6 primeiros números do seu cartão Santander;
  • Estudantes da rede privada de ensino;
  • ID Jovem: Válido para portadores da carteira de Identidade Jovem;
  • PCD+Acompanhante: Válido para pessoas com deficiência e seus acompanhantes. O acompanhante não acessa o museu desacompanhado;
  • Professores da rede privada de ensino;
  • Servidores públicos do município do Rio de Janeiro;
  • Estudantes universitários.

Gratuidade:

  • 0 a 5 anos;
  • Amigos do Amanhã – NOZ: Válido para quem faz parte do programa Amigos do Amanhã – NOZ (incluindo os Programas de Amigos parceiros);
  • Associado ICOM: Válido para associados do ICOM com selo da anuidade;
  • Estudantes da rede pública de ensino fundamental e médio;
  • Funcionários de museus;
  • Funcionários do Banco Santander;
  • Funcionários da Shell;
  • Guias de turismo;
  • Idosos: Válido para pessoas acima de 60 anos;
  • Professores da rede pública de ensino;
  • Vizinhos do Amanhã: Válido para integrantes do programa Vizinhos do Amanhã;
  • Funcionários da Engie;
  • Funcionários da Fundação Roberto Marinho.

Todos os descontos descritos acima precisam ser comprovados antes de acessar o museu. A não comprovação do mesmo invalidará o desconto.

– A lotação do museu é controlada e os ingressos são limitados. Recomendamos garantir o seu com antecedência.

MUSEU DO AMANHÃ
Praça Mauá, 1 – Centro, Rio de Janeiro – RJ, 20081-240
https://museudoamanha.org.br/


Ver mapa ampliado

Fontes: Museu do Amanhã|Sebastião Salgado
Fotos: © Pedro Rodrigues/BandNews FM|Drew Forsyth/Science Museum Group