RARIDADES E TESOUROS DA DISCOGRAFIA DO JARRE NO BRASIL (PARTE I)

Fãs brasileiros de Jean Michel Jarre sofrem e estão praticamente largados no mundo fonográfico do artista. O último lançamento dele no mercado internacional, Essentials & Rarities (2011), não foi lançado no Brasil, bem como os álbuns remasterizados de seu catálogo antigos, duas vezes publicado na Europa e alguns países (entre eles, o México) pela poderosa Sony Music e nada por aqui. Apenas os últimos álbuns normais de estúdio, tiveram seus lançamentos no país, durante os seus anos de publicação e nada mais.

Mas, o mercado brasileiro, pode ser pobre com relação ao artista, mas a discografia dele no nosso país, esconde algumas raridades que a maioria dos fãs desconhecem totalmente e que acabam sendo verdadeiros tesouros nas mãos dos colecionadores no exterior, em especial, os europeus, sendo que ainda existe um agravante: uma vez vendida lá fora, nunca mais os brasileiros verão a cor destas gravações no país de novo. O Jarrefan Brazil lança agora, em primeira mão, uma luz sobre estes tesouros perdidos brasileiros.

LANÇAMENTOS PRÉ OXYGENE NO BRASIL???

Quem sempre pensou que a primeira gravação de Jean Michel Jarre lançada no Brasil foi o álbum Oxygene, lançado no país e internacionalmente em 1977 pela Polygram, se surpreenderá ao descobrir que duas das gravações pré-Oxygene que ele publicou em vários países europeus no início dos anos 70, também saiu em single 7″ (conhecido aqui com compacto) no Brasil. Trata-se de “Zig-Zag Dance” em sua versão “Foggy Joe & The Foggy Joe Band” e “Pop Corn Orchestra”, ambos lançados originalmente na França em 1972 pela Disques Motors (que se tornaria a Disques Dreyfus). No caso de Zig-Zag Dance, o Lado A apresenta a versão cantada pelo Samuel Hobo, e o Lado B, a versão instrumental da mesma música composta por Jarre. Já o single de Pop Corn, traz no Lado A uma cover da famosa composição homônima de Gershon Kingsley, e no Lado B, Jarre toca “Black Bird” usando o pseudônimo de Jamie Jefferson. Essa música é na verdade, a faixa “Bridge of Promises” do álbum Deserted Palace e que foi uma das selecionadas para entrar na coletânea “Essentials & Rarities”. Ambos os compactos foram publicados no Brasil pelo selo Steam Machine no ano de 1973 e fabricados pela “Som Ind.Comercial” de São Bernardo do Campo, SP. Essas cópias são realmente muito raras, talvez um dos itens mais raros da carreira de Jean Michel Jarre.

zigBra1
Single 7″ – Compacto – Zig Zag Dance (vocal) com Foggy Joe and the Foggy Joe Band – LADO A
zigBra2
Single 7″ – Compacto – Zig Zag Dance (Instrumental) com Foggy Joe and the Foggy Joe Band – LADO B
Single 7″ – Compacto – Pop Corn com Pop Corn Orchestra – LADO A
Single 7″ – Compacto – Black Bird com Pop Corn Orchestra – LADO B

Um fato interessante sobre esses singles, é que ele são 33 1/3 RPM e não 45 RPM como muitos singles de 7″.

O vídeo abaixo mostra a execução do single Zig-Zag Dance:

COVER DO WANDO PARA SOUVENIR OF CHINA ???

No ano de 1984, Jarre ainda não tinha estourado no país, mas aos poucos estava buscando seu espaço por aqui. Geralmente, vinhetas de rádios e comerciais de TV, apresentavam uma ou outra música do artista como trilha de fundo. Por incrível que pareça, a Rede Globo de Televisão lançou uma novela das 19 horas, intitulada “Transas e Caretas”, que apresentava a música “Souvenir of China” (do álbum The Concerts in China de 1982), como parte da trilha sonora, escolhida a dedo pelo ator e diretor José Wilker (1944-2014), para compor seu personagem, um cara bastante avançado com pensamentos sempre futuristas. Wilker era fã das músicas de Jean Michel Jarre. A faixa fez tanto sucesso, que passou a ser tocada nas rádios, mesmo sendo instrumental, foi incluída no LP com a trilha sonora internacional da novela e escolhida por um concurso de uma emissora de rádio de São Paulo, como a “Música mais bonita do ano de 1984”.

Em 1985, a gravadora Som Livre lançou uma coletânea intitulada “Um Toque de Amor” com músicas românticas internacionais, incluindo “Souvenir of China” entre as escolhidas

Como se não bastasse, o cantor e compositor Wando (1945-2012), conhecido como o cantor preferido das empregadas domésticas e famoso por receber calcinhas de suas fãs durante os shows, resolveu regravar a música com uma letra de sua autoria. Outro detalhe interessante, é que o arranjo da música, que inclui até uma imitação das crianças chinesas cantando, foram criados pelo Lincoln Olivetti (um maestro que faleceu recentemente). A música foi lançada em um single de 7″ como “Flor de Luz” em 1984, creditando o Jarre como “Jarré” pela gravadora da Rede Globo, a Som Livre, e republicada na coletânea “Dor Romântica” no ano de 1989 em vinil e cassete.

Flor de Luz
Single 7″ – Compacto – Flor de Luz do Wando – LADO A
contra-wandoB
Single 7″ – Compacto – Flor de Luz do Wando – LADO B
dor romantica A
LP – Dor Romântica do Wando – Lado A
dor romantica B
LP – Dor Romântica do Wando – Lado B

No vídeo abaixo, podemos ouvir o que o Wando fez com “Souvenir of China”

Aguardem a 2ª parte dos Tesouros da discografia brasileira de J.M.Jarre…

Agradecimentos: Sergio “La Cage” Sobarzo (Chile)

Avatar

Marcos Paulo

Fã Clube criado em 1997 nos primórdios da internet no Brasil. Buscamos sempre a realização de ao menos uma apresentação do Maestro Jean Michel Jarre em nosso país.

4 thoughts on “RARIDADES E TESOUROS DA DISCOGRAFIA DO JARRE NO BRASIL (PARTE I)

Fechado para comentários.