JARRE NO BRASIL – Promessas completam três décadas – Parte I

 

Jarre - O Sinatra da música eletrônica - Promessas de três décadas...

Os fãs brasileiros que ficaram anos esperando a vinda do mago dos teclados, Jean Michel Jarre, já devem estar sem paciência de tantos anúncios de shows no Brasil nos últimos 30 anos. Apartir deste artigo divido em várias partes, o Jarrefan-Brazil irá mostrar fatos, boatos e suposições destas promessas de shows que fazem o artista ser apelidado nosso país de “Sinatra da música eletrônica”, pelo fato de assim como Frank Sinatra, ter prometido quase toda a vida musical de vir ao Brasil, este fato só se tornou concreto, após longos anos de negociações, shows cancelados e principalmente muita grana envolvida. Na medida do possível, iremos colocar nas noticias, ilustrações e fotocópias das reportagens das épocas específicas para ilustrar e dar veracidade às informações aos leitores.

INÍCIO – A MUSICA DE J.M.JARRE NO BRASIL

O primeiro álbum comercial do artista, “Oxygene” (76), foi lançado no Brasil em 1977, praticamente junto com o lançamento em volta do globo coordenado pela Polygram (um braço da multinacional holandesa Polydor na qual Jarre tinha contrato de distribuição mundial). Seus álbuns seguintes, também foram lançados no país, seguindo os lançamentos mundiais. Nesta época, ainda não havia um envolvimento direto com o público brasileiro e a música ficou restrita praticamente aos amantes da boa música eletrônica e progressiva, junto com artistas como Mike Oldfield, Kraftwerk e Vangelis. Também, não havia um rótulo comercial para a música. Alguns rotularam de “rock espacial” ou “space music”. No final da década de 70 e começo dos anos 80, as músicas destes artistas, começaram a serem usadas em campanhas publicitárias, propagandas e aberturas de programas de TV, vinhetas nas rádio entre outros. Vangelis foi o primeiro a ter uma aceitação mais popular, pois compunha diretamente para trilhas sonoras de filmes, como “Carruagens de fogo” (cujo clip oficial foi divulgado no Fantástico em 1981, além de ter ganhado Oscar de melhor trilha sonora e se tornado febre mundial), “Blade Runner” e do programa de TV “Cosmos” de Carl Sagan. Era comum escutar Oxygene 4, Equinoxe 5 e Mag.Fields 2 em comerciais de TV e rádio neste mesmo período.

Contra-Capa do LP da trilha sonora da novela "Transas e Caretas"

Uma grande surpresa aconteceu em 1984, quando a música “Souvenir of China” (originalmente do LP: “J.M. Jarre-The Concerts in China”), foi escolhida para fazer parte da trilha sonora da novela “Transas e Caretas” (vide anexo) da TV Globo. A faixa saiu no LP da trilha sonora internacional da novela e passou a ser executada nas rádios brasileiras. No final deste mesmo ano, foi escolhida pelos ouvintes como a música mais “bonita do ano”. E antes do estourou definitivo de J.M. Jarre no país, o jornalista Luiz Antônio Melo, coordenador da rádio Fluminense do Rio de Janeiro, chegou a sugerir em uma reportagem (vide anexo) a inclusão do artista para um possível Rock in Rio /1986, imaginando uma noite progressiva com outros artistas como King Crimson e Aztec Camera. Infelizmente, após o primeiro Rock in Rio de 1985, a Cidade do Rock, que serviu de palco para o evento original, foi desmontada a pedido do Governado do Rio, Leonel Brizola, que prometeu que o Rio de Janeiro nunca mais iria sediar um evento promíscuo daquela natureza.

Texto do jornalista Luiz Antônio Melo pedindo Jarre no Rock in Rio II (1986)

Ainda em 1984, Jarre lançaria o álbum “Zoolook”, que teve críticas positivas em várias partes do mundo, incluindo o Brasil, onde pela primeira e única vez, ganhou um review positivo na Revista VEJA (o único até hoje). Apesar de tudo, o disco não teve o mesmo sucesso de vendas de seus álbuns anteriores e Jarre partiu para um projeto mais comercial…Rendez Vous.

Único review de um álbum de J.M.Jarre na Revista Veja (1985)

Em 1986 veio à consagração definitiva, a Polygram do Brasil, aproveitando o sucesso nos Estados Unidos do disco “Rendez Vous”, começou uma grande campanha de marketing bastante coordenada nas rádios e em emissoras de TV, para lançar definitivamente a Jarremania no nosso país. A música de trabalho, “Rendez Vous 4”, teve singles promocionais distribuídos nas rádios brasileiras e pela primeira vez, o artista foi finalmente apresentado ao país em horário nobre no programa dominical da Rede Globo, “Fantástico”, onde o clip de RV-4 foi exibido. Na apresentação do clip, foi informado que o artista francês tentou gravar um música no espaço, mas o Ônibus Espacial Challenger havia explodido após o lançamento matando todos os sete tripulantes. A música era uma homenagem aos astronautas. Mas não foi apenas isto, no final de 1986, a Rede Globo adquiriu e exibiu o show “Rendez Vous in Houston”, também em um domingo, logo após o “Fantástico”. Com todas estas divulgações em rádio e TV no país, não foi difícil imaginar que os fãs praticamente aumentaram consideravelmente, a ponto do artista finalmente ter ganhado “Disco de Ouro” e depois “Disco de Platina” pela vendagem de Rendez Vous.  A Rede Globo não perdeu tempo e comprou também os direitos de exibição do show “Rendez Vous in Lyon”, para mais um especial de fim de ano da emissora. O número de fãs brasileiros só aumentava.

O crescimento do interesse do público por J.M. Jarre no país levou a outras emissoras a correrem atrás deste novo fenômeno da música mundial. A Rede Manchete conseguiu quebrar a hegemonia da Rede Globo ao comprar os direitos de exibição do especial “The Concerts in China”, de 1982 e montar um especial só de vídeo clips “Jean Michel Jarre Especial” com todo o patrocínio da gravadora Polygram.

…A SEGUIR : JARRE MOSTRA INTERESSE NO BRASIL !!!
 

 

 

Avatar

Marcos Paulo

Fã Clube criado em 1997 nos primórdios da internet no Brasil. Buscamos sempre a realização de ao menos uma apresentação do Maestro Jean Michel Jarre em nosso país.

One thought on “JARRE NO BRASIL – Promessas completam três décadas – Parte I

Fechado para comentários.