Categorias
Azimuth Festival Álbum de colaboração Chat Concertos Coronavírus Covid-19 DVDs EōN ELECTRONICA Mélancolique Rodéo VR - Realidade Virtual

EM QUARENTENA, JARRE FAZ NOVA LIVE NO FACEBOOK

Conforme anunciou em suas redes sociais no dia 14 de março, Jean-Michel Jarre respondeu inúmeras perguntas de seus fãs ao vivo no seu Facebook oficial, no dia 17. Ele disse que esse formato deve acontecer a cada três meses. O último, foi em 13 de dezembro de 2019.

Primeiramente, Jarre também foi afetado pelo toque de recolher na França e está de quarentena no seu apartamento em Paris. Disse esperar que todos estejam saudáveis. Começou dizendo que naquele dia, a Apple declarou o EōN, “aplicativo do dia” em 123 países, o que o deixou muito satisfeito. Além disso, o aplicativo foi atualizado para a versão 1.3, que oferece muitas melhorias, como um novo menu, novas músicas e novos gráficos, além de um novo recurso de compartilhamento. Isso fornece a capacidade de gravar 48 segundos de música do aplicativo. Ele também teve a ideia de escolher seus próprios favoritos entre aqueles que foram carregados pelos fãs no Instagram, e talvez criar uma espécie de “Top 10” do ano, onde os usuários poderiam ganhar algo. Além disso, agora é possível também avaliar o aplicativo.

17 março: EōN é considerado aplicativo do dia em 123 países

Em relação à versão para Android do aplicativo, Jarre disse que esses usuários não estão esquecidos. “Está sendo difícil lançar essa versão, pois acabou sendo mais trabalhoso do que o esperado para transferir todo o conteúdo do iOS para o Android. Isso está levando tempo, pois muitos ajustes precisam ser feitos” – disse o músico francês.

Sobre a possibilidade de tocar EōN ao vivo , Jean-Michel está trabalhando nesse projeto, mas ainda não sabe exatamente como será. Criar um diálogo com EōN deve ser, naturalmente, diferente do aplicativo puro. Nos próximos dias, o trabalho no lado visual também deve começar.

O músico francês também falou sobre o concerto em Al Ula, no deserto da Arábia Saudita. “Foi uma aventura extraordinária, por causa do cenário especial. A coisa toda lembrou muito o filme ‘Contatos Imediatos do Terceiro Grau'” – disse Jarre. O concerto foi filmado pela plataforma VICE, que está produzindo um documentário. “Espero que isso seja publicado antes do final do ano, mas pode não acontecer, devido à situação atual. Estou muito ansioso para compartilhar essa aventura com vocês e também a nova música ‘Azimuth’ o mais rápido possível.”

Questionado sobre a nova tecladista que entrou para a Le Tribe, Jean-Michel disse que foi a oportunidade de trabalhar com uma mulher no grupo. Ela é uma tecladista japonesa que se chama Narumi. Jarre está muito feliz com essa cooperação, que deverá continuar no futuro.

Narumi Hérisson: a nova Le Tribe

O projeto em Al Ula não foi originalmente planejado como um festival com público, mas como um filme. “Seria algo parecido com ‘Pink Floyd Live at Pompeii’. Originalmente, o plano era ir para um lugar especial, construir um palco extraordinário lá, tocar música e desaparecer na manhã seguinte. Um pequeno público estaria no local, pois não seria fácil dirigir até o meio do deserto. A coisa toda era mais um acampamento. O projeto não foi projetado para um grande público, mas principalmente para ser filmado. A plateia seria mais ‘testemunha ocular’ do que um público real.” – disse Jarre.

O músico francês achou uma boa ideia realizar um pequeno show na Internet, pois ainda não é possível dizer quanto tempo ficará sem poder sair de casa. É concebível que ele improvise algo por uma noite no estúdio. Isso será anunciado em tempos hábeis.

O futuro álbum “Electronica 3” também foi mencionado. “Isso teve que ficar um pouco para trás por causa do trabalho no EōN e no concerto de Al-Ula, mas agora vou trabalhar nisso nas próximas semanas. No entanto, não será lançado antes de 2021.” , revelou. Ele não quis dizer os nomes dos colaboradores, mas o álbum será bem diferente dos dois primeiros álbuns do projeto, para não ficar muito repetitivo. A cooperação com os músicos convidados irá em uma direção completamente diferente.

Questionado sobre uma possível turnê, Jean-Michel disse que gostaria de fazer alguns shows com o projeto EōN no final do ano. No entanto, tudo vai depender da pandemia do Coronavírus. “O setor de entretenimento está em uma situação muito difícil. Penso em particular nos meus colegas, músicos e técnicos, que agora são particularmente afetados por todos esses cancelamentos de concertos e festivais. Isso os coloca em uma situação financeira complicada e também é uma grande decepção para o público que frequenta concertos. Em Paris, há pessoas que aparentemente ainda não entendem o que está em jogo e ainda estão nas ruas.” – disse o francês.

Jean-Michel está com dois novos sintetizadores, que ele experimentará em um futuro próximo. Ele também vê EōN como sua contribuição contra o tédio na quarentena, porque música e gráficos não se repetem. Além disso, o aplicativo também pode ser usado offline e isso não reduz a velocidade da Internet, que atualmente está sobrecarregada devido ao uso pesado.

Jarre exibe um de seus novos sintetizadores

A publicação de sua autobiografia em inglês, alemão e espanhol está prevista para outubro. Existem planos de tradução para outros idiomas, mas sem datas definidas ainda. Há planos para uma pequena “tour book” em livrarias e feiras literárias, combinada com o projeto ao vivo do EōN.

Questionado sobre sua camisa, Jean-Michel disse que foi feita para o show de Al Ula, onde ele a usou no palco. É uma nova logo, porque há muito tempo que ele tem vontade de desenvolver uma marca “JMJ”. “Ainda não está terminado, mas gostei muito. Por um lado representa “JMJ”, mas ao mesmo tempo, pode ser muitos outros, como por exemplo, um logotipo Sci-Fi, um personagem japonês ou árabe ou um personagem de ‘Game Of Thrones’ ou ‘Star Trek’.”

A logo JMJ

Quando solicitado por um fã para oferecer o aplicativo EōN gratuitamente, Jarre respondeu com um pequeno discurso sobre o valor do trabalho criativo: “Muitas pessoas não teriam problemas em pagar 100 euros por um par de sapatos, embora estes muitas vezes custam apenas um ou dois euros em produção. Mas quando se trata de música, filmes ou um aplicativo por 9 ou 15 euros, as pessoas diriam que é muito caro. Isso é muito injusto. Os artistas passam muito tempo criando algo novo e único e são criticados por viver de suas criações. Todo trabalho, incluindo o trabalho criativo, tem seu valor. Só porque algo está disponível ao toque de um botão, não significa que não vale nada. Os artistas muitas vezes colocam muito trabalho em uma ideia sem pensar no comércio. Então, o mínimo é pagar um preço razoável por isso.”

A velha questão do lançamento de shows antigos no formato digital é uma pergunta que sempre é feita nas lives que o Jarre faz. E dessa vez, não foi diferente: “Sim, gostaria de publicar algo. Conversas com a Sony sobre isso já vem acontecendo há algum tempo. No entanto, não será para esse ano, já que existem planos de lançar outros produtos em 2020, como Electronica Tour ou Al Ula. Tenho muito material interessante que gostaria de compartilhar com os fãs na melhor qualidade possível.”

Sobre as muitas perguntas que chegaram sobre apresentações em determinados países, ele disse que não quer sair em turnê por causa da turnê, mas porque também quer oferecer ao público algo musical e visual. Portanto, seus próximos shows não serão shows “best of” , mas sim algo novo. Mas ele prometeu visitar alguns países onde ainda não tocou ou raramente apareceu. É importante para ele também, tocar em países onde pessoas não tem a mesma liberdade que nós. Ele vê a cultura como uma espécie de “Cavalo de Troia”. Um artista deve distinguir entre uma ideologia e seres humanos.

Questionado sobre as atividades de VR (Virtual Reality – Realidade Virtual), Jean-Michel disse que está trabalhando em um estúdio virtual. “Isso não é apenas um truque, mas você pode se encontrar com outro músico, por exemplo, que está realmente em uma parte completamente diferente do mundo e pode trabalhar junto ou realizar um concerto” – completou.

Sobre uma possível colaboração com Vangelis, ele, brincando, sugeriu que perguntasse ao compositor grego: “Infelizmente, ele está fazendo cada vez menos música e está ocupado com outros projetos. Estou aberto a tal cooperação, mas é mais uma decisão dele do que minha.”. Um pouco mais sério, Jean-Michel disse que sabia que Vangelis não está bem ultimamente e que o grego não vem fazendo músicas. Ele tem grande respeito por Vangelis e ficaria muito satisfeito com essa parceria. O mesmo vale para Mike Oldfield. “Sei que Mike falou positivamente sobre uma possível colaboração e fiquei feliz em saber disso.”

Finalizando, Jean-Michel desejou tudo de bom aos fãs e que eles se mantenham saudáveis. “Felizmente, o isolamento total pode ser evitado através da Internet. Sigam em frente com as ordens de seus governos e autoridades, porque esse vírus não é brincadeira. Mas poderemos derrota-lo se todos nos cuidarmos de nós mesmos.”

A live completa pode ser vista abaixo:

Fonte: Jean Michel Jarre oficial 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.