OXYGEN IN MOSCOW

Depois de lançar um novo desafio com a Oxygène Tour, Jean-Michel Jarre nos ofereceu no dia 6 de setembro de 1997, mais um de seus mega-concertos. Esse show é considerado um dos mais impressionantes já criados por Jean-Michel Jarre e atraiu um público estimado em 3,5 milhões de espectadores.

Foi em 19 de agosto, durante uma entrevista coletiva em Moscou na presença de toda a imprensa e do prefeito Yuri Luzhkov, que Jean-Michel Jarre formalizou o boato que circulava há alguns meses entre seus fãs: depois de Paris em 1995, Moscou seria palco do próximo mega-concerto ao ar livre. Este concerto foi intitulado “Oxygen in Moscow” e fez parte das festividades comemorativas dos 850 anos da cidade. Jean-Michel Jarre considerou-se muito honrado por ter recebido esse convite e disse que iria realizar um de seus projetos mais ambiciosos e um sonho antigo: tocar na terra natal de seu bisavô. Jean-Michel Jarre não quis produzir um son et lumière histórico e educacional, mas seu objetivo declarado foi fazer um concerto que se tornasse ao mesmo tempo, um evento cívico, lúdico e comemorativo, com a presença de artistas locais.

O concerto foi realizado em frente à Universidade Estadual de Moscou, que é visível na maioria dos bairros da cidade. Dois dias após a coletiva para a imprensa, Jean-Michel e sua Le Tribe (a mesma da Oxygène Tour) começaram os ensaios no estúdio de Jarre nos subúrbios parisienses e em 1º de setembro, embarcaram rumo à Moscou para os ensaios finais in loco.

No início da tarde do dia 6 de setembro, as pessoas começaram a se aglomerar no local. Entre o palco e as barreiras que separavam o público, um grande espaço onde foram instaladas cadeiras, foi reservado aos convidados VIPs. Um efetivo de 2700 homens faziam a segurança e barracas de comida e bebida e banheiros químicos foram instalados em intervalos regulares por todo o local.

A exemplo do que aconteceu no Concert for Tolerance, quatro Sukoi 27, os mais recentes aviões de combate do exército russo, sobrevoaram em formação de diamante lançando fogos de artifício sobre o local, dando início ao espetáculo. A fachada da Universidade foi usada como uma tela gigante para uma série de projeções de todos os tipos: bonecas russas, ícones ortodoxos, cosmonautas, imagens de líderes russos do passado e do presente, entre outras.

Jarre prestou um tributo à Princesa Diana (que havia falecido dias antes, num trágico acidente de carro em Paris) e ao programa espacial russo, com uma aparição em vídeo dos cosmonautas da Estação Espacial MIR. Participaram do concerto músicos locais, crianças do balé bolshoi, o coral The Ex-Red Army e algumas das marionetes que estiveram nos concertos de La Défense e da Torre Eiffel.

O show durou mais de duas horas e foi um dos mais bem-sucedidos e impressionantes, especialmente em termos de pirotecnia, que nunca esteve tão presente. Mais uma vez, Jean-Michel combinou perfeitamente seu trabalho com a história e a arquitetura local. Jarre tem de fato uma incrível capacidade de sentir a essência e a atmosfera de um lugar, para se apropriar e incorporá-los da melhor maneira possível em seus shows.

Tracklist:

  1. Rendez-Vous 2
  2. Ethnicolor
  3. Equinoxe 7
  4. Chronologie 6
  5. Magnetic Fields 1
  6. Oxygène 11
  7. Souvenir of China
  8. Equinoxe 4
  9. Oxygène 7
  10. Oxygène 10
  11. Oxygène 2
  12. Magnetic Fields 2
  13. Oxygène 4
  14. Chronologie 4
  15. Oxygène 8
  16. Oxygène 12
  17. Révolutions
  18. Rendez-Vous 4
  19. Oxygène 13

Músicos: Dominique Perrier, Francis Rimbert, Christopher Papendieck, Laurent Faucheux e Dominique Mahut

Coral: The Ex-Red Army

Registros:

OXYGEN IN MOSCOW (vídeo)

Fotos (clique nas imagens para ampliar):

Arquivo Jarrefan:

CONCERTO DE MOSCOU ENTRE AS 15 MAIORES CONCENTRAÇÕES DE PESSOAS DA HISTORIA

JARRE FAZ REVELAÇÕES SOBRE O HISTÓRICO CONCERTO DE MOSCOU E SONHA COM BAIKONOUR

GUINNESS BOOK: RECORDE DE JARRE EM MOSCOU CITADO DE FORMA DIFERENTE E ESTRANHA