RÁPIDO & RASTEIRO – JANEIRO DE 2022

ANUNCIADA A DATA DE EXIBIÇÃO DE DOCUMENTÁRIO SOBRE MÚSICA ELETRÔNICA

O documentário “Electronic Vibrations – A Sound Changes the World” (mais informações no Rápido & Rasteiro de novembro de 2021) conta a história da música eletrônica e como ela nos levou ao techno. O diretor Thomas von Steinaecker nos leva através da história do pós-guerra a pequenos estúdios em Colônia (Alemanha) e Paris, e aos dois compositores visionários de vanguarda Pierre Schaeffer e Karlheinz Stockhausen.

Ao fazer isso, o arco se estende lentamente por bandas como Tangerine Dream ou Kraftwerk, por artistas como Jean-Michel Jarre até nossos dias, da vanguarda à cultura pop, do underground ao mainstream.

Há entrevistas com membros do Tangerine Dream, Kraftwerk, Mouse on Mars, assim como Jean-Michel Jarre e a pioneira da eletrônica Éliane Radigue. A primeira transmissão acontecerá no dia 18 de fevereiro às 22:40 (horário local) no canal ARTE.

Electronic Vibrations – A Sound Changes the World
Um filme de Thomas von Steinaecker
Duração: 52 minutos
Câmera: Chris Valentien
Edição: Volker Schaner
Produção: Lucie Tamborini
Produtores: Maria Willer, Bernhard v. Pods
Editores WDR/Arte: Christian Nurtsch-Wesener
Uma produção 3B encomendada pela WDR em cooperação com o canal Arte

Fonte: Fazemag

LOUMAVOX: REVELADO O MISTÉRIO

No Rápido & Rasteiro de dezembro de 2021, contamos a história de um documentário que teve a participação de Jean-Michel Jarre, onde estudantes do ensino médio de um colégio agrícola na França, descobriram por acaso um sintetizador dos anos 1960 e foram em busca de seus inventores. O mistério chegou ao fim no dia 1º de janeiro: como era de se esperar, a história é fake e Louise e Marc Vokzinski são personagens fictícios.

“No início era apenas uma oficina de cinema e queríamos contar a história de uma mulher que morava perto de nós, que tinha feito algo revolucionário, mas que não teve tempo de mostrar, como se essa coisa tivesse ficado no esquecimento”, revelou a estudante Amandine Kucera. Já a estudante Marie Kolla disse que eles ficaram surpresos quando Jean-Michel Jarre aceitou o convite para participar do documentário, pois isso deu mais credibilidade ao filme.

Jarre comentou: “É um documentário fake muito bonito. Pessoalmente, lamento que este Loumavox não tinha sido inventado por Louise Vokzinski. Fiquei muito emocionado com essa iniciativa. Porque, no período em que estávamos em quarentena, precisávamos sonhar. O verdadeiro e o falso se misturavam continuamente em nossas cabeças, em nossos corações, e brincar com isso de forma poética era algo único. É uma dupla homenagem: uma homenagem à música e aos designers de instrumentos modernos. E para as mulheres, têm a sua importância no caminho da evolução das técnicas da música eletrônica. Então, parabéns! E, quem sabe, talvez não encontremos Louise Vokzinski por aí em algum lugar? Talvez vocês podem vê-la espreitando pelo celeiro. Me mantenham informado!”

O professor Franck Dupont comentou: “Espero que os alunos pensem sobre a fronteira que existe entre o verdadeiro e o falso, a imaginação, o sonho e a fantasia. É um campo de possibilidades entre a realidade e a ficção.”

Assista ao desfecho dessa história (ative as legendas do YouTube para o português).

Fonte: Canal Loumavox

NOTAS DE FALECIMENTO

Jean-Michel Jarre em 2016 recebendo os prêmios Schallwelle das mãos de Sylvia Sommerfeld

Sylvia Sommerfeld (1957-2021)

Sylvia Sommerfeld, presidente da “Schallwende” (associação alemã que assumiu a missão de divulgar informações sobre música eletrônica, promovendo jovens artistas e oferecendo-lhes uma plataforma para receber informações de contatos, gravações de CD e organização de concertos) e defensora de longa data da cena da música eletrônica na Alemanha, faleceu no dia 29 de dezembro de 2021, aos 64 anos, de Covid. Ela também criou o Prêmio Schallwelle, organizando e moderando as cerimônias de premiação. Desde Electronica 1, Jean-Michel Jarre recebeu diversos prêmios Schallwelle :

– Em 2016 como Melhor Artista Internacional e Melhor Álbum Internacional para Electronica 1 (Zero Gravity ficou em 2° lugar na categoria ‘Melhor título do ano’).
– Em 2017 como Melhor Artista Internacional e Melhor Álbum Internacional para Oxygene 3 (Electronica 2 ficou em 4° lugar).
– Em 2019, Melhor Álbum Internacional para Equinoxe Infinity (Planet Jarre ficou em 10º lugar e Jarre ficou em 2° lugar na categoria ‘Melhor Artista Internacional’, perdendo para o Tangerine Dream).

– E mais uma vez, Jean-Michel estará concorrendo em 2022, como ‘Melhor Artista Internacional de 2021’, ‘Melhor Álbum Internacional de 2021’ para Welcome To The Other Side, e ‘Melhor Álbum de Música Ambiente de 2021’ para Amazônia.

R.I.P. Sylvia Sommerfeld

Fonte: Schallwende

Gérard Drouot (1952-2022)

Gérard Drouot

O produtor francês Gérard Drouot, fundador da Gérard Drouot Productions, faleceu no dia 10 de janeiro, aos 69 anos vítima de leucemia. Gérard foi um dos pioneiros em produzir concertos na França, e realizou uma carreira com mais de 40 anos, produzindo shows de artistas como Hans Zimmer, Kiss, AC/DC, James Brown, Deep Purple, U2, Bruce Springsteen, Elton John e Queen + Adam Lambert.

Drouot também trabalhou com o Jean-Michel Jarre, sendo o produtor da parte francesa da Electronica Tour em 2016.

R.I.P. Gérard Drouot

Fonte: Gérard Drouot Productions