Oxygene Live Concerts – Jarre comenta

Algumas curiosidades da turnê pelo Leste Europeu:

Jarre tem postado novamente no Blog oficial (www.jarreblog.com), algo que não acontecia desde o começo de agosto de 2008, segundo ele por estar muito ocupado. Ele pediu, neste período, para os habituais parceiros Thomas Alsina e Louis (da AERO PROD) irem postando fotos de seus shows anteriores, para o Blog não ficar parado. Com a turnê na estrada novamente, Jarre voltou a ter tempo de atualizar pessoalmente o blog com mais informações.

Segundo Jarre, a turnê ganhou essa segunda fase, por causa da demanda por shows em diferentes países, ainda quando ele estava tocando a primeira parte no começo do ano. Ele lembrou que o álbum “Oxygene”, recebeu muitas críticas quentes do Leste Europeu. Durante a ditadura soviética e o comunismo nestes países, esta música foi considerada algo como símbolo de liberdade e evasão, um som atravessando as fronteiras da antiga Cortina de Ferro e isso o tem motivado a levar o projeto do novo Oxygene para aquela parte do mundo.

O reinício da turnê foi em Roma e Milão, onde ele amou o grande público. Depois partiu para tocar nos primeiros países do Leste Europeu, só que ai surgiu um pequeno problema. O show foi concebido para ser tocado em lugares menores (geralmente em teatros clássicos) e as arenas destes países do leste europeus são maiores.

Como por exemplo, na capital de Eslovénia, Ljubljiana, onde o show foi realizado em um ginásio de basquete. Ele teve alguns problemas antes do show com o digisequencer, mas no final o grande público se mostrou animado.

Em Belgrado, capital da Sérvia, Jarre tocou em uma arena para 10 mil pessoas. Para isto, tiveram que contar com mais caixas de som e telões extras, na qual ele não gostou por causa da razão “analógica” do projeto. Este show da Sérvia, segundo Jarre, foi algo louco e bastante rock’n roll com uma plateia bastante animada. Para Jarre, a turnê tem sido uma experiência única, como por exemplo, o início do show em Belgrado, com uma sequência solo muito minimalista e um total silêncio da platéia, mas quando o show terminou, tinha 10 mil pessoas pulando e dançando.

O concerto seguinte foi em Bucareste, na Romênia, depois de 12 horas de viagem de ônibus. Jarre disse que adora viajar de ônibus, por ser confortável e divertido com a equipe. Na Capital da Romênia, Jarre fez um show bastante alegre e quente com pessoas charmosas, com a Le Tribe dando todo o gás onde o próprio Jarre chegou a quebrar o Moog drum de tanta
empolgação.

Em Budapeste na Hungria, Jarre fez uma coisa inédita. Quando estava andando pelas ruas da capital, ele viu um artista de rua, chamado Norbert Pável, que toca um instrumento extraordinário que se parece com um disco voador. Ele ficou bastante tempo escutando Pável tocar esse estranho instrumento e decidiu convida-lo para o show no dia seguinte na qual Pável se juntou à Le Tribe como artista convidado tocando junto com o Jarre seu inusitado instrumento chamado “Hang” durante a VARIATION 1.

Isto pode ser visto nesta gravação:

Jarre abriu o show com uma nova nova introdução que pode ser vista aqui:

Por fim, Jarre tocou em Praga (República Tcheca), que segundo o artista, foi o melhor show da turnê até agora. Um lugar grande para um grande público de 10 mil fãs, onde desta vez, ao contrário do show da Sérvia, as caixas de som e telões funcionaram perfeitamente. Jarre também não teve qualquer problema com seus instrumentos e ele e os músicos demonstraram ter grande energia para realizar o show.

Próxima etapa, RÚSSIA…onde Jarre não toca a mais de 10 anos !!!

Fonte: Jarreblog.com/Zoolook.nl/

Avatar

Marcos Paulo

Fã Clube criado em 1997 nos primórdios da internet no Brasil. Buscamos sempre a realização de ao menos uma apresentação do Maestro Jean Michel Jarre em nosso país.