LUTO: MORRE AOS 70 ANOS, O CANTOR PATRICK JUVET

O cantor Patrick Juvet, que ficou famoso na década de 1970 por seu hit Où sont les femmes?, em parceria com Jean-Michel Jarre, morreu aos 70 anos. A informação foi passada à Agence France-Presse (AFP) pelo seu agente, Yann Ydoux, nesta quinta-feira (1º de abril). O corpo do artista foi encontrado em um apartamento de Barcelona. A causa da morte ainda não foi determinada. “Haverá uma autópsia. Eu falei com ele ao telefone há três dias, achei que estava bem”, explicou Yann Ydoux.

Juvet residia em Paris, mas ocasionalmente viajava para a Espanha ou Suíça. Um de seus maiores sucessos foi o álbum “Paris by Night”, de 1977. O disco vendeu 100 mil cópias e foi uma colaboração entre Jean-Michel Jarre (letrista) e Juvet (compositor e intérprete). “A carreira de Juvet teve altos e baixos, bons momentos, outros menos”, resumiu Yann Ydoux, que conheceu o cantor há 22 anos. “Ele ainda tinha muitos projetos, principalmente um novo álbum como compositor”, acrescentou.

Patrick nasceu em 21 de agosto de 1950 em Montreux (Suiça). O local de origem da família é Fleurier, no distrito de Val-de-Travers. Seu pai Robert Juvet tinha um negócio de rádio e televisão, o que permitiu que Patrick conseguisse todos os discos americanos. Sua mãe, Janine Juvet, nascida Féty, era francesa e entrou para a política na Suíça, antes de se juntar à Cruz Vermelha. Ele tinha um irmão e uma irmã.

Juvet entrou para o Conservatório de Lausana aos seis anos de idade e na aula de piano, ganhou um primeiro prêmio. Ele continuou seus estudos na Escola de Artes Decorativas até os dezessete anos quando lhe foi oferecido para substituir um modelo para uma agência em Dusseldorf, na Alemanha. Em 1971, ele largou seu emprego e partiu para Paris para se juntar a Pascal Maignant, seu companheiro e futuro agente, onde convenceu a assessora de imprensa Florence Aboulker a ter seu talento reconhecido como compositor.

Jean-Michel Jarre lamentou a passagem de Juvet em suas redes sociais, publicando uma foto da década de 70:

“Uma vida glamourosa e noites de rock, meu amigo Patrick Juvet, a criança de cabelos brancos se foi. Eu penso nele e em sua família”

Mais tarde, Jarre foi entrevistado pelo canal francês BFMTV e disse que ficou triste e surpreso com a notícia: “Eu o vi há um tempo atrás, ele parecia em ótima forma”, disse o tecladista francês. “Patrick continuará a ser alguém importante na minha vida, como amigo, como músico, como colaborador” , destaca o compositor. “Ele é alguém que definitivamente marcou uma página na música pop francesa.”

JEAN-MICHEL JARRE
Da esquerda pra direita: o engenheiro de som Jean-Pierre Janiaud, Patrick Juvet e Jean-Michel Jarre nos EUA, durante as gravações do álbum “Paris by Night”

Como fez com Christophe (1945-2020), o músico refletiu sobre “como poderíamos criar álbuns que não fossem apenas uma sucessão de canções. Ele se tornou uma estrela do disco depois dos álbuns que nós fizemos . Mas, de acordo com ele, “sua carreira poderia ter ido muito mais longe do que foi, porque começou muito forte. Ele poderia ter feito uma grande carreira internacional. Começou, em particular graças aos dois álbuns que fizemos juntos” .

Jean-Michel Jarre volta a destacar a voz “muito particular” de Patrick Juvet, “à la Bee Gees, com um lado ambíguo, provocador, que atraía como um ímã”.  O músico também escreveu a letra de uma canção de Patrick Juvet chamada L’enfant aux Cheveux Blancs (A criança de cabelos brancos). “Isso resume bem” , diz Jean-Michel Jarre. “Isso quer dizer tanto desse menino sujo quanto esse lado infantil e que, ao mesmo tempo, carregava uma forma de tristeza, melancolia, alma velha.”  Patrick Juvet terá sido “finalmente, alguém que sempre esteve sozinho e bastante infeliz” , acrescenta Jean-Michel Jarre. “Isso é o que também deu esses flashes que ele foi capaz de ter em determinados momentos de sua vida como artista.”

R.I.P. Patrick Juvet (21/08/1950 – 01/04/2021).

Fontes: Agências internacionais|BFMTV|Franceinfo.