MAGNETIC FIELDS (mundo) 

LES CHANTS MAGNÉTIQUES (França)

Lançamento: 22 de Maio de 1981

Composto e executado por: Jean Michel Jarre

Gravação: Janeiro à Abril de 1981

Selo: Disques Dreyfus

Gravadora: Polydor / Polygram Internacional (1981); Sony Music France (1997); Sony Music Germany (2015)

Arte-Capa: Rémy Magron

País: França

TRACKLIST :

Lado A

“Magnetic Fields Part 1”  – 17:50

Lado B

Magnetic Fields Part 2″ – 3:59

Magnetic Fields Part 3″ – 4:15

Magnetic Fields Part 4″ – 6:18

Magnetic Fields Part 5″ (The Last Rumba) – 3:30

Tempo total: 35:52

SINGLES:

“Magnetic Fields Part 2”

“Magnetic Fields Part 4”

“The Last Rumba”

VIDEOCLIPE:

Magnetic Fields 2

Instrumentos:

MDB poly sequencer

RSF Kobol

Oberheim OB-X

ARP 2600

Fairlight CMI

EMS Synthi AKS

EMS Synthi VCS3

Korg KR 55

Elka 707

Eminent 310U

Moog Taurus Pedal Synthesizer

EMS Vocoder 1000

Korg VC-10

Electro-Ha

Le Tribe:

Engenharia e mixagem por Jean-Pierre Janiaud

Assistente de engenharia: Patrick Foulon e Pierre Mourey

Auxiliar: Michel Geiss

Curiosidades:

Primeiro álbum a ser gravado no estúdio particular “Oxygene” de Jean Michel Jarre, construído em sua mansão em Croissy, onde foi viver com Charlotte Rampling após casarem-se em 1978.

Primeiro álbum a ter um nome na França e outro do lançamento no resto do mundo, devido as leis franceses de proteção ao idioma

Uma curiosidade, Jarre brincou com a palavra francesa “chants” na hora da tradução para o inglês “Fields”. Na verdade a palavra em francês significa “cantos magnéticos” e não “campos magnéticos”.

No dia 20 de março de 1981, o engenheiro de som Michel Geiss se dirigiu à uma estação de trem para gravar sons. Ele se arriscou muito ao gravar os trens que passavam a meio metro da pista e a cinquenta metros acima do chão. Um funcionário da estação o repreendeu e lhe aplicou uma multa de 60 francos (cerca de 10 euros), escrevendo no relatório “(…) enquanto gravava sons de trens para um álbum de Jean-Michel Jarre”.

O álbum foi um dos primeiros registros de uso de samplers como um elemento musical, embora seu estilo distinto seja imediatamente reconhecível em toda a duração do álbum. Para este álbum Jarre foi parcialmente inspirado pelos trabalhos de Andy Warhol e um fascínio com a reprodutibilidade do som digital.

Carro chefe dos concertos na China em outubro de 1981.

ARQUIVOS JARREFAN:

JARRE VOLTA AO VINIL – “RARITIES”, “OXYGENE”, “EQUINOXE” e “MAGNETIC FIELDS” SÃO RELANÇADOS

HISTÓRICO: IMAGENS RARAS DE JARRE EM ESTÚDIO DURANTE AS GRAVAÇÕES DE MAGNETIC FIELDS (1981)

LANÇADO NOVO BOX COM ÁLBUNS DE ESTÚDIO