EXPOSIÇÃO AMAZÔNIA CHEGA AO METRÔ DE PARIS

França – 11/06/2021

A RATP (Régie Autonome des Transports Parisiens – Gestão Autônoma dos Transportes Parisienses) é a empresa responsável pelos transportes públicos de Paris e seus arredores. Aproveitando o retorno das atividades culturais após o período da pandemia, a RATP em conjunto com a Philharmonie de Paris, está oferecendo aos usuários do metrô, uma imersão na Floresta Amazônica, por meio de uma série de fotografias da Exposição de Sebastião Salgado, expostas em 7 estações da rede Île-de-France Mobilités.

FOCO DO ‘LA RATP INVITE’ : APROVEITAR AO MÁXIMO A FOTOGRAFIA

Lançado em 2013, esse evento cultural intitulado La RATP invite (A RATP convida) permite à empresa exibir regularmente os trabalhos de fotógrafos – franceses ou estrangeiros, jovens talentos ou artistas renomados de diferentes épocas – implantando-os maciçamente em suas estações. Depois de Harry Gruyaert (2015), Richard Avedon (2016), Yann Arthus-Bertrand (2017), JR (2018), Hassan Hajjaj (2019), dentre outros, chegou a vez do fotógrafo Sebastião Salgado ser homenageado com a programação La RATP invite. Graças à fotografia, que é uma forma de expressão artística acessível ao maior número de pessoas, a RATP procura enriquecer a experiência de transporte dos seus passageiros, oferecendo-lhes alguns momentos de surpresa, descoberta e discussão. Para esta 10ª edição, os usuários da RATP estão desfrutando de uma verdadeira viagem pela Amazônia brasileira, descobrindo 60 fotografias, a maioria delas inéditas. Exibidas em grandes formatos, essas fotos podem ser visualizadas a partir de 11 de junho até o final de setembro de 2021 nas seguintes estações:

Clique nas imagens para ampliar:

*RER: Réseau Express Régional (Rede Expressa Regional) é a rede ferroviária urbana que serve a cidade de Paris e arredores.

UMA VIAGEM FOTOGRÁFICA E SENSORIAL

Sebastião Salgado viajou por 7 anos pela Amazônia brasileira, fotografando a floresta, os rios, as montanhas e as pessoas que vivem lá. Este universo misterioso, onde a natureza revela seu imenso poder, tem impresso no olhar do fotógrafo imagens marcantes, testemunhos não só da beleza, mas também da fragilidade da Floresta Amazônica. Concebida a partir dos sons da floresta, usando os arquivos sonoros do Museu de Etnografia de Genebra, uma partitura musical de Jean-Michel Jarre acompanha essa caminhada sensorial no coração da Amazônia. Para descobrir os clipes dos sons, os passageiros podem escanear os QR Codes exibidos perto das fotos.

Fonte: RATP|Fotos da galeria: Jean-Christophe Maille e Facebook da RATP