Sobre nós

No início de 1997, eram em seis, o total de fãs brasileiros que se comunicavam entre si via e-mail: Aldo Henrique Ramos (Rio de Janeiro-RJ), Dlaivision Ribamares (Belo Horizonte-MG), Ricardo Melo (Uberaba-MG), Leonardo Noronha (João Pessoa-PB), Eduardo Cassus (Rio de Janeiro) e Michel Onesti (São José-SC). Eles anunciaram a criação de um fã-clube de Jean Michel Jarre através de uma lista de e-mail, na qual uma pessoa respondia a outra com cópia para todos os envolvidos. Em um mês, este grupo aumentou para 10, depois 20 e depois 30 pessoas. O problema inicial foi que, ao copiar o e-mail, uma ou outra pessoa acabava não recebendo. Isso foi resolvido por Ricardo Melo, que junto a seu provedor LDC de Uberaba, introduziu o sistema de mailing list e as mensagens passaram a ser automáticas para todos os participantes cadastrados. Ricardo passou a ser neste período, o Owner da lista, isto é, quem gerenciava a lista de discussão. Faltava um nome para o grupo, e depois de uma votação, foi escolhido JARREFAN-BRAZIL, com o “Z” no Brasil, para dar um destaque internacional ao grupo de fãs.

No final de 1997 e antes do primeiro ano, o grupo já tinha mais de 100 membros e, devido a mudança de Ricardo Melo para o Reino Unido por 4 meses, o grupo passou a ser administrador por Onesti. Novos fãs se juntaram ao grupo como Raphael Ozelo (Limeira-SP), Renato Mundt (São Paulo-SP) que criou o logo oficial do fã-clube, Nilcéia (Campinas-SP), César Lima (Belém-PA) e Marcos Paulo (Praia Grande-SP). Posteriormente, membros pioneiros dos fãs-clubes anteriores, também se juntaram ao Jarrefan-BR: Michelangelo Romano (São Paulo-SP), Eduardo da Silva Soares (São Bernardo do Campo-SP), Armando Heilmann (Curitiba-PR), Marcos Ferasso (São Miguel d’Oeste-SC), Leonardo Prata Jammal (Uberaba-MG), Cristiano Verano (Brasilia-DF) e tantos outros. O grupo não apenas foi formado por brasileiros, mas pessoas de outros países como Fernando Bazon do Peru e os portugueses Hugo Santos, Helder Correia (estes dois cidadãos lusos, conheceram Jarre pessoalmente durante visita do artista a Lisboa em 2000 para divulgar o álbum Metamorphoses) e Domingos Moreira, que fundou posteriormente o “Jarrefan de Portugal”. A lista de discussão do LDC durou até 2001, quando migramos para uma nova lista de discussão no Yahoo Grupos.

Entre 2004 à 2010, existiu um grupo do Jarrefan-Brazil no Orkut. Com o fim daquela que é considerada a primeira rede social da Internet, o grupo foi migrado a partir de 2011, para o Facebook, onde se encontra atualmente com mais de 600 membros do Brasil e do exterior:

https://www.facebook.com/groups/JarrefanBrazil/

Com um número grande de fãs, a maioria do Estado de SP, por volta de 1998, o fã Ricardo Melo que havia se mudado para a capital paulista decidiu com apoio de muitos, organizar os primeiros encontros de fãs.  Após muitas discussões, finalmente no dia 6 de Outubro de 2000, ocorreu o 1º Encontro de Jarrefans Paulistas. O local escolhido foi a Churrascaria Super Grill, no bairro da Vila Maria, em São Paulo. O encontro foi para fãs paulistas, mas compareceram fãs de outros estados também: César Lima (Belém-PA, residindo em Osasco-SP), Francisco Garcia (São Paulo-SP), João Solimeo (Vinhedo-SP), Marcelo Sartori e seu filho Gabriel (Guarulhos-SP), Renato Maschetto (São Caetano do Sul-SP), Renato Mundt (São Paulo-SP), Renato Silvestre (São Bernardo do Campo-SP), Ricardo Melo (São Paulo-SP), Sinclair Iyama (São Paulo-SP) e Walter Sitta (São Bernardo do Campo-SP).

Um momento histórico de descontração, onde fãs como Renato Mundt e Ricardo Melo, levaram alguns de seus materiais, para serem vistos pelos presentes. Desse encontro seguiram-se outros nos meses e anos seguintes, sempre acontecendo em algum lugar de São Paulo, sendo apenas um realizado por fãs cariocas no Rio de Janeiro. Nestes encontros, nasceu também o desejo de montar algo ainda maior, para chamar atenção do próprio artista. Nasceu assim, a ideia da nossa 1ª Jarrecon, a convenção brasileiras de fãs de Jean Michel Jarre.

Foto do primeiro encontro de jarrefans em S.Paulo (2000)

SITE OFICIAL

No próprio ano da criação do Jarrefan-BR, Michel Onesti, criou o primeiro site brasileiro dedicado à Jean Michel Jarre, o “Planet Jarre”, que ficou no ar até 2000 e ajudou a trazer mais fãs para a lista de discussão. Após a criação do Planet Jarre, e de alguns outros sites nacionais, um primeiro site oficial do Jarrefan-Brazil (jarrebrazil.hpg.com.br) foi criado por volta de 2000 pelo fã paulista Renato Mundt, um grande colecionador de itens ligados à Jean Michel Jarre, que chegou a ter a maior coleção das Américas, só rivalizando com os pertences de fãs europeus. Mundt também administrou o Jarrefan-Brazil entre 1998 e 2001.

Planet Jarre: o primeiro site brasileiro dedicado à Jean Michel Jarre
O primeiro site Jarrefan Brazil hospedado no hpg

O atual site oficial foi criado por Marcos “Xerife” Paulo em 2002, atualizado em 2003 e continua no ar até hoje, sendo um dos maiores meios de comunicação do artista no mundo.

www.jarrefan.com.br

Em 2019, o Yahoo desativou o Yahoo Grupos e a lista de discussão chegou ao fim. Então os membros da lista foram para um grupo no WhatsApp que havia sido criado em agosto de 2017, como grupo de apoio para a turnê sul-americana do Jarre. Esse grupo passou a ser o novo local para a troca de mensagens entre os fãs, junto com o grupo do Facebook. Para participar do nosso grupo, é só entrar no link de convite:

https://chat.whatsapp.com/9eOjeesnWiq2EaHfn24s2k

JARRECONS – AS CONVENÇÕES DE FÃS NO BRASIL

JARRECON 2001

A primeira convenção brasileira foi inspirada nas convenções europeias e organizada por Renato Mundt, com ajuda de alguns fãs como Sinclair e Ricardo Melo. A ideia era reunir os fãs brasileiros, em um final de semana em algum hotel fazenda do interior paulista, para compartilhar sobre a vida e carreira do artista, assistir vídeos, palestras, ver exibições de itens raros e discutir diretrizes do fã-clube. Após uma grande pesquisa de lugares na região de Campinas, o local escolhido foi o Hotel Fazenda Green Gold, em Itatiba-SP, nos dias 25 e 26 de Agosto de 2001. Esta convenção se tornou a primeira convenção nas Américas a homenagear  Jean Michel Jarre.

Primeira convenção brasileira (e das Americas) de jarrefans

Um dos pontos altos desta convenção foi a exibição de objetos e itens raros de Mundt (uma das maiores coleções do mundo) e a impressionante exposição de maquetes em 3D, inspiradas nas capas dos álbuns de J.M. Jarre. Na época, os alunos do curso técnico de publicidade com ênfase em design, da Escola Estadual Carlos Campos, de São Paulo, fizeram esse trabalho, sob orientação da Professora Vera Lucia Rando.

Houve até um jogo interativo baseado no “Jogo do Milhão” do Sílvio Santos, produzido pelo fã Marcelo Sartori. E não poderia faltar, é claro, os covers executados pelos fãs: Renato Maschetto (Santo André), Renato Silvestre (São Caetano-SP), Gustavo Jobim (Rio de Janeiro) e Dlaivison Ribamares (Belo Horizonte-MG). A primeira conveção de fãs de Jean Michel Jarre no Brasil contou com a presença dos seguintes fãs brasileiros:

Raphael Ozelo (Limeira-SP), Cesar Lima (Belem-PA), Thelmo Frota (Rio de Janeiro-RJ), Nilcéia Siqueira (Campinas-SP), Aldo Ramos (Rio de Janeiro-RJ), Carlos Reis (Rio de Janeiro-RJ), Leonardo Prata Jammal (Uberaba-MG), Harry Palhano (Belo Horizonte-MG), Cristiano Verano (Brasilia-DF), Ricardo Schulz (Joinville-SC) e seus familiares, num total de 22 pessoas.

JARRECON 2K2 (2002)

O sucesso da primeira convenção, levou à ideia de uma nova convenção, realizada um ano depois. Ela ocorreu em Jarinu-SP, no hotel fazenda “Paraíso do Sol”, nos dias 9 e 10 de novembro de 2002.

2° convenção de fãs – Jarrecon 2K2 – Jarinu – SP

Os fãs presentes naquela convenção foram: Renato Mundt (São Paulo), Ricardo Melo (São Paulo), Leonardo Borges (São Paulo), Sinclair (São Paulo), Cesar Lima (Campinas), Leonardo Prata Jammal (Uberaba), Aldo Ramos (Rio de Janeiro), Nilceia (Campinas), Marcos Virgulino (Santo André), Raphael Ozelo (Limeira), Carlos Augusto (Rio de Janeiro), Evandro Gomes (São Paulo), Renato Maschetto (Santo André) e Renato Silvestre (ABC Paulista).

O cover ficou por conta de Renato Maschetto, Leonardo Borges e Renato Silvestre. Um ponto de destaque também, foi o quadro “Os piores clips do mundo” apresentado por Ricardo Melo, comentando as várias falhas e coisas engraçadas dos shows e clips do Jarre.