JARRE RECONHECE PUBLICAMENTE QUE “TÉO & TÉA” FOI UM ERRO EM SUA CARREIRA !

Em entrevista a revista francesa TRAX, para divulgar sua turnê “2010”, Jarre foi questionado sobre o seu último álbum inédito de estúdio, “TEO & TEA”(Warner Music-2007). Com as palavras do próprio artista :

“Este álbum foi um erro, uma coisa idiota para fazer. Eu tinha um monte de problemas pessoais na época, e eu mantive-me entretido a brincar com estas amostras. E então isto acabou sendo lançados como um álbum. Mas quando eu ouço o álbum hoje … bem, se tem que ficar atrás de seu próprio trabalho, eu acho, mas eu realmente não faria isso novamente !”

—Jean-Michel Jarre

Avatar

Marcos Paulo

Fã Clube criado em 1997 nos primórdios da internet no Brasil. Buscamos sempre a realização de ao menos uma apresentação do Maestro Jean Michel Jarre em nosso país.

3 thoughts on “JARRE RECONHECE PUBLICAMENTE QUE “TÉO & TÉA” FOI UM ERRO EM SUA CARREIRA !

  • Avatar
    11 de novembro de 2010 em 12:22
    Permalink

    Partners of Crime part 2 é muito boa. O resto é questionabilíssimo.

  • Avatar
    4 de outubro de 2010 em 15:43
    Permalink

    OPINIÃO PESSOAL, QUE NÃO CORRESPONDE AOS PENSAMENTOS TOTAIS DO FÃ-CLUBE :

    O cara faz o que ele tem na cabeça. A década 00 não foi boa para o Maestro das multidões. Se no passado ele significava FUTURO, hoje ele tem que viver do passado, já que sua idéia de futuro ficou para trás infelizmente. METAMORPHOSES foi difícil de engolir, Sessions 2000 e Geometry of Love foram passatempos , A.E.R.O., foi uma tentativa de se fazer tudo de novo, mas TÉO & TÉA, foi uma falta de noção total. Moby e Air, compuseram melhor que ele atualmente. Queremos o velho Maestro da eletrônica de volta.

    Ricardo Melo

  • Avatar
    1 de outubro de 2010 em 09:16
    Permalink

    Que bom, eu como DJ, fã sem carteirinha do Monsieur Jarre e admirador de seu trabalho, fico contente que ele tenha feito um álbum desses, já que estou prestes a me apresentar em São Paulo como guest DJ em uma casa noturna recentemente inaugurada (onde o ponto forte é flashback dos anos 70, 80 e 90).
    Em minhas apresentações, sempre toquei Jean-Michel Jarre (as dançantes de Les Chants Magnetiques e Zoolook, mixadas entre outros clássicos da dance music, em meus live setmix. Já, Oxygene, Equinoxe, Interior Music e outros álbuns mais conservadores eu ouço em casa mesmo.

    Penso também, que colocar samples em um concept album (como ele mesmo disse em sua entrevista quando divulgou Téo & Téa), é uma coisa maravilhosa. Por outro lado, essa idéia de ele não fazer isso novamente me preocupa… Já que Téo & Téa 4:00 A.M (que irei tocar também em breve), Touch to Remember, Beautiful Agony e todas as outras faixas do álbum ficaram ótimas…
    Ficarei sem tocar as próximas músicas dançantes que poderiam surgir? O “robô” dele não vai falar mais nada do tipo “I remember you”?, “Why?”, “You are one”, “Are you an angel”,… e outras palavras tão bonitas?

    Buáááááááááááááá

Fechado para comentários.