Francis Rimbert: Concertos solos até na terra natal de Jarre

franek4
Francis Rimbert

Enquanto Jean Michel Jarre fica brincando de DJ com seu novo álbum Téo & Téa, seu parceiro de crime e (segundo o próprio músico) “ainda” membro da Le Tribe, o tecladista Francis “Bunny” Rimbert, anunciou que que irá tocar em 3 concertos de 90 minutos na França este ano:

O primeiro concerto será no Festival Summer Solstice Outdoor Concert, em Place Marcel Legras, Suresnes perto de Paris em 21 de Junho, a partir das 21:30. Este concerto será outdoor e de graça a quem quiser comparecer. Faixas de seus álbuns Double Face e Snap Shots, além de faixas exclusivas serão executadas no evento.

O segundo concerto será no 26th Annual Fête De La Musique Festival (www.fetedelamusique.culture.fr) que ocorrerá dia 23 de Junho de 2007, a partir das 22:30, no centro de Croissy-Sur-Seine, perto de Paris. Também será um evento livre com faixas dos álbuns Double Face e Snap Shots.

O último concerto, ocorrerá na cidade natal de Jean Michel Jarre, Lyon, a convite do músico eletrônico francês Samy Akrour (www.myspace.com/samyakrour), Presidente da Pour La Tolerance Association e em prol de uma entidade ligada a ajuda humanitária, a Handicap International (www.handicap-international.org), ocorrendo no dia 16 de Novembro de 2007 as 20:30 , dentro do Salle Victor Hugo, em Lyon. Este concerto custará 10 Euros de entrada e após o mesmo haverá uma seção de autógrafos com fãs e venda dos CDs do artista, cuja a renda será doada a Fundação Handicap International.

Fonte: JarreUK.com e www.francisrimbert.com

Avatar

Marcos Paulo

Fã Clube criado em 1997 nos primórdios da internet no Brasil. Buscamos sempre a realização de ao menos uma apresentação do Maestro Jean Michel Jarre em nosso país.

One thought on “Francis Rimbert: Concertos solos até na terra natal de Jarre

  • Avatar
    16 de junho de 2007 em 19:30
    Permalink

    Já ouví e me não me canso de ouvir o álbum Téo & Téa, e apesar deste álbum não seguir em absolutamente nada os grandes álbums do mestre da música eletrônica, encontrei nele a renovação que todo grande artista espera para sí, a mudança musical que todos atravessam, mais cedo ou mais tarde. Pode ser para melhor ou para pior, mas todo artista tem a necessidade de se testar, e por isso estão sujeitos a cometer erros. Sou fã incondicional de Jarre há mais de 20 anos e continuarei seguindo sua carreira, pois acredito que ele, na sua genialidade, não imaginou que pudesse decepcionar fãs e crítica com este álbum. Esperemos o próximo álbum.

Fechado para comentários.