Categorias
CISAC Coronavírus Covid-19 UNESCO

JEAN-MICHEL JARRE: “O COVID-19 É UMA CATÁSTROFE PARA A CULTURA”

O músico é presidente da Confederação Internacional das Sociedades de Autores e Compositores (CISAC), que emitiu um comunicado

Reportagem do Diário ABC – Espanha – 14/04/2020

MADRI O presidente da Confederação Internacional das Sociedades de Autores e Compositores (CISAC), o músico Jean-Michel Jarre, disse que, embora a crise tenha se concentrado na saúde e na sobrevivência, o Covid-19 “também é uma catástrofe para a cultura”. Ele afirmou isso, por ocasião do debate virtual ‘ResiliArt’, que acontece na quarta-feira, 15 de abril, e é organizado pelo CISAC e pela UNESCO, organização da qual o artista também é Embaixador da Boa Vontade.

De acordo com um comunicado do CISAC, entidade que representa mais de 232 sociedades de autores em todo o mundo, este debate global foca no impacto do Covid-19 na cultura e nos autores, e nas ações necessárias para superá-la. Por isso, Jarre faz um apelo à ação voltada para a comunidade de autores e governos em todo o mundo, para participar do debate.

Pôster do debate virtual ‘ResiliArt’, organizado pela UNESCO e CISAC

“É compreensível que essa crise tenha se concentrado na saúde e na sobrevivência. Mas o Covid-19 também é uma catástrofe para a cultura. Isso ameaça a renda de longo prazo dos autores, prejudica a economia e os empregos e representa um desastre para as comunidades baseadas na cultura e na arte”, disse o músico francês.

Para o presidente do CISAC, a cultura é, ao mesmo tempo, uma peça essencial para a resolução dessa crise. Por isso, o projeto ‘ResiliArt’ tem como objetivo, dar a palavra aos autores para que eles possam ajudar na definição de políticas efetivas pelos governos. “A cultura é simplesmente uma necessidade básica para nossa sociedade. Criadores enriquecem nossas vidas. São empresários que atuam como motor da nossa economia e dos nossos empregos. Eles também nos ajudam e nos acompanham em tempos difíceis”, disse.

Nesse sentido, Jarre chama a atenção para o refúgio que esse setor implica para as pessoas que estão confinadas, que recorrem à arte, entretenimento e cultura. “Obras criativas, sejam livros, filmes, música ou artes visuais, estão trazendo para nossas casas, o valor indiscutível da cultura para nossa sociedade”, disse ele.

“É o momento certo para o mundo da cultura se unir e organizar discussões para encontrar soluções sob medida para todos os países. É necessário analisar os dados, informações e as diversas soluções. Isso não pode ser feito a menos que seja liderado pela comunidade cultural em nível global”, disse Jarre, que também enfatiza o papel dos governos neste debate que, em sua opinião, é insubstituível e deve investir na recuperação da cultura para que o setor criativo possa desempenhar seu papel econômico e social nesta emergência da crise atual.

Fonte: abc.es

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.