Jarre volta a combater a pirataria

Depois de um longo período fora da campanha contra a pirataria na Internet, na qual Jean Michel Jarre chegou a liderar como Representante dos músicos Europeus, um novo debate na França sobre leis contra a pirataria está novamente em discussão.

O Parlamento francês prepara-se para votar esta semana a nova versão da lei da propriedade intelectual que prevê a legalização da utilização de ferramentas anti-DRM, o software que protege música, filmes e outros conteúdos, desde que justificada pela tentativa de conversão entre formatos diferentes.

A ser aprovada, tal lei obrigará empresas como a Apple a abrir o software de suporte nas suas lojas de música online de modo a que os consumidores possam descarregar músicas para outros leitores portáteis que não apenas os da fabricante em causa, explicou uma fonte parlamentar francesa em entrevista para a Reuters.

Neste momento os arquivos de música descarregados a partir iTunes Music Store da Apple só podem ser lidos pelos populares iPods, desenvolvidos pela fabricante. A diretiva poderá levar a Apple a fechar a sua loja francesa, consideram alguns analistas, de modo a evitar a medida.

Com o projeto-lei, os proponentes pretendem combater a pirataria, “encorajando o desenvolvimento do mercado da música digital na França e beneficiando os retalhistas de música online legal”, salienta Christian Vanneste.

A proposta chegou a considerar a inclusão de uma emenda referente à legalização do recurso às redes peer-to-peer para o download de músicas e filmes mediante o pagamento de uma mensalidade de vários euros, mas que acabou por ser abandonada perante a oposição cerrada de artistas e editoras discográficas.

A nova lei marcará a transposição da diretiva européia sobre os direitos de autor para o quadro nacional francês, um processo que deveria ter sido concluído até ao final de 2002

Um grupo de artistas liderados pelo roqueiro veterano francês Hallyday, tem se oposto a licença global, argumentando que o serviço de download legal oferece uma “seleção pobre por preços excessivos” e que o DRM não irá impedir que consumidores abaixem arquivos e rodem em múltiplos aplicativos.
“Isto é um argumento errado” disse Hallyday. Ele conseguiu apoio de Charles Aznavour e Jean-Michel Jarre.

Fonte: Lista Internacional / Fórum Jarre.Net