Jarre Blog: ‘2010’ – Balanço da primeira semana

Jean Michel Jarre.com

Jarre postou novamente em seu blog e agora conta como foi a primeira semana de shows de sua nova turnê ‘2010’.

FIM DA PRIMEIRA SEMANA
Ontem foi o 5° concerto da turné “2010”, depois do ensaio geral na Bélgica, que correu bastante bem, considerando a quantidade de trabalho realizado.

Eu trabalhei muito neste projeto para aproximar-se do que eu tenho em mente durante muito tempo. Primeiro de tudo, eu reorganizei faixas existentes para os instrumentos que nós quatro usamos no palco. Eu também passei o tempo mixando com Alain Courieux para pegar cada parte da música que tocamos de forma tão clara e precisa quanto possível, e com Julien e Vincent para conseguir o melhor som possível em nossos monitores de ouvidos, um ingrediente essencial para tocar na forma mais natural. Então, nós trabalhamos de forma dura com Cedric Courieux e Arno para ajustar nosso novo Sistema acústico e PA para cada lugar que tocamos. Eu tenho praticado muito, especialmente para a nova parte do Theremin e meus vários solos. Tudo foi previamente ensaiado em estúdio com os músicos Claude Samard, Francis Rimbert e Dominique Perrier. Eu realmente queria que, além do aspecto técnico da música, cada um poderia expressar toda a emoção em cada faixa, as nossas oito mãos tocando com a mesma sensação.

O outro esforço para este projeto “2010” também foi projetar uma cenografia que poderia transmitir a magia dos meus concertos ao ar livre, na qual cada canção constrói seu próprio mundo visual. Com Ignace d’ Haese, diretor de luz, nós elaborados esquemas de cores específicas para cada ciclo atrás de nós e pedi-lhe que considere os instrumentos sobre o palco, como “atores” em um jogo. Eu também tomei a decisão de incluir cenário de vídeo, mas evitando qualquer conteúdo direto na narrativa da faixa, para que a música deixe cada um criar sua própria história em sua mente. Com Hugo e Anasar, a equipe de Laser, nós melhoramos a harpa laser e o uso de objetos e formas para com o laser no palco e no espaço com uma abordagem 3D. Isto dá a audiência, um sentimento de total imersão dentro do show, e virá a calhar quando o filme do concerto for feito em 3D, nas cidades de Estrasburgo e Liege.

Uma vez que colocamos o último toque a música no meu estúdio na França, eu pude focar na parte cenográfica na Bélgica. Pela primeira vez, eu decidi injetar alguns vídeos ao vivo em algumas músicas, para partilhar alguns close-up com o público, como forma de mostrar que quando estamos tocando os instrumentos às vezes é um momento muito “especial”. Todas as transmissões ao vivo são intencionalmente em preto e branco para combinar com o visual vintage dos sintetizadores analógicos e proporcionar um melhor contraste com o aspecto high-tech da cenografia. Peter está fazendo um excelente trabalho capturando os melhores ângulos das performances. Para este efeito, nós colocamos 8 câmeras no palco, incluindo uma minicâmera em meus óculos para dar uma dinâmica de visão do ponto de vista de primeira pessoa.

O último ensaio geral foi muito bom e bastante incomum. Então nós deixamos a Bélgica em direção a Katowice na Polônia, de ônibus. De fato, eu perguntei a Chris Rowley nosso grande gerente de produção para viajarmos de ônibus, sempre que possível. Nestes dias em que o sentido de geografia e as distâncias são cada vez mais abstrata por causa de aviões e as novas tecnologias de comunicação, isto é uma grande experiência ir ao longo do continente pelas estradas. Eu apenas amo o espírito comunicativo destes momentos que passamos com os músicos, Chris, Pierre, Louis e Fiona, bebendo saquê, discutindo shows futuros e fazendo música.

O primeiro concerto em Katowice foi emocionante por causa do público polaco, sempre quente e tão especial para mim. Tecnicamente, nós tivemos todos os problemas possíveis. Foi difícil instalar toda a produção a tempo, então alguma coisa errada aparecida no console de Julien e de repente o mix que nós tínhamos feito no palco ficou horrível. Foi um pesadelo tocar com estas bagunças em nossos ouvidos. Nos sabíamos desde o começo que este lugar seria o mais difícil da turné… Mas novamente, a audiência foi grande e nos deu a energia para lutarmos.

Durante o dia de folga, nós decidimos visitar Auschwitz, que fica 20 Km de Katowice. Eu fiquei pensando muito em minha mãe, uma grande figura da resistência francesa. Ela foi capturada três vezes pelos alemães, e foi enviada para o horrível campo de concentração de Ravensbruck. Várias coisas já foram ditas sobre estes campos, mas quando vc realmente vê pessoalmente, isto é além da descrição. A coisa que mais me impressiona é medir que a capacidade de alguns seres humanos seja tão sistemática, maciça e loucamente destrutiva. Isto é algo que cada adolescente deveria ver. Você se sente tão doente depois. Obrigado Mamãe por ter me ensinado a tolerância depois de tudo que vc já passou.

Em seguida, partimos para iniciar a parte alemã da turnê em Braunschweig. O 2° show foi muito melhor, mais ou menos no mesmo nível dos ensaios gerais. Hamburgo foi a primeira grande cidade, com um monte de presença da mídia, mais meu agente Paul Charles e Gerard Drouot, o promoter francês. Estava muito apertado neste lugar, o show começou com o som do jeito que eu queria, mas ainda com algumas falhas para melhorar no visual. Eu acho que Paul e Gerard entenderam o que eu estou apontando para este projeto.

Nós seguimos para Berlin, sempre desafiadora e difícil como todas as capitais do mundo. Não somente como uma capital da música clássica e música eletrônica, mas também por ser o coração da cultura européia por séculos.Existe sempre alguma coisa para tocar em Berlin. Felizmente, o concerto seguiu bem e a audiência foi grande, um mix entre jovens músicos, pessoas que fecham seus olhos para focar o som, garotas dançando e outras imagens. Eles são só entusiasmo e isto encorajou a todos nós.

Ontem a noite foi Oberhausen. Eu acho que pela primeira vez, nós conseguimos o que eu tinha em mente, todas semana nós fazemos alguns ajustes necessários no palco e visualmente e o resultado foi uma resposta incrível da platéia. Todo mundo se levantou durante os últimos 45 minutos, e nós usamos toda esta energia no palco a ponto de todo mundo correr como loucos.

Eu espero que nós possamos manter este nível de qualidade na próxima semana e talvés improvisar algumas coisas. Então, quando sentirmos que nós “temos” o controle do show, eu estarei apto a introduzir algumas novas canções, mas primeiro precisamos que cada um do grupo tenha o seu total e confiante controle…

Próximo passo, Stuttgart. Fiquem preparados.

Jean Michel Jarre

Fonte: www.jarreblog.com

Avatar

Marcos Paulo

Fã Clube criado em 1997 nos primórdios da internet no Brasil. Buscamos sempre a realização de ao menos uma apresentação do Maestro Jean Michel Jarre em nosso país.