EDGAR FROESE DO TANGERINE DREAM, ADMITE POSSIBILIDADE DE TRABALHAR COM JARRE

Jarre junto com Edgar Froese e a banda Tangerine Dreams em fevereiro/2014 em Viena
Jarre junto com Edgar Froese e a banda Tangerine Dreams em fevereiro/2014 em Viena

 

Em entrevista a equipe do site alemão JarreLook.De, o músico e pioneiro eletrônico alemã, Edgar Froese, fundador do Tangerine Dream, admitiu que provavelmente haverá uma colaboração dele neste álbum que Jarre está produzindo em colaboração. Sobre os planos para um concerto conjunto com o Tangerine Dreams, na qual foi divulgado recentemente, ele ainda deixou dúvidas.

JarreLook: Recentemente foi divulgado em um documentário sobre a sua turnê com o Tangerine Dreams haver rumores de que estaria sendo planejado um concerto conjunto com Jean Michel Jarre :

Edgar Froese: Não foi dito exatamente isto, sobretudo acabou encontrando seu caminho para a mídia. Nunca foi falado de um super show em qualquer lugar do mundo. Mas estamos consideramos a nós mesmos, nos conhecermos e estamos propensos a projetar uma base musical para iniciar uma cooperação. Nós trocamos várias informações um com o outro. Só nós dois tocaríamos em um festival mas estamos sempre viajando. Então você tem um plano. A quase um ano atrás, ele já tinha reservado uma fuga de Paris, mas teve que cancelar devido a outros compromissos. E então você tem que sempre olhar sua agenda, onde isto irá ajustar para ambos.

JL: Então não deve ser nenhum grande mega-concerto?

EF: Então, o que é essa idéia de concerto ? – e, acima de tudo, mega-concertos – que se estabeleceu no mundo, eu não sei. Mas é assim que foi mostrado, especialmente neste documentário, são duas coisas completamente distorcidas que não correspondem à verdade. E eu acho que o meu interesse, neste contexto atual, incluindo a de Jean Michel (Jarre), seria que, se você vai tocar para o público você deve entregar o menu quando ele ainda é cozido e não se você só ir para o mercado de rua e comprar os ingredientes.

JL: Jean Michel está trabalhando em um álbum, para o qual contribuem também muitos outros artistas.

EF: Sim

JL: Você participará também?

EF: Jarre mencionou isso para mim. E uma vez que não é apenas ele, por isso como devo dizer durante muitos anos,…como o álbum “Vertraut”, era sobre uma coisa dessas com a minha música, mas também com o seu “eu”. Desde que você fingiu ouvi-la todos os dias e por isso não é. Mas eu sei o que ele está fazendo e eu acho que eu sei por que ele faz o que faz. E eu sempre acho essencial, pois só para julgar a música para alguma coisa, você precisa de informações um pouco mais detalhadas. Nós também conversamos sobre isso – e ele vê algo assim – que é sempre uma bênção e uma maldição ter um hit. Ele teve o seu grande sucesso quase no início e, em seguida, você vai identificar um ou outro hit em tantos anos. Isto é, em outras áreas musicais é pior, mas na música instrumental é boa. O que ele fez em minha opinião é correto, que é tentar fazer o show de acordo para sair dessa esta pura “estrada de hits”, que ele é apenas parcialmente bem-sucedido, visto comercialmente. Então, para mim, musicalmente … O álbum “Zoolook” ainda é o mais interessante, embora ele tenha feito muitos, porque ele se saiu tão bem nesta “trilha comercial”. Mas ele, como nós, há muitos anos, é claro, tem este problema de uma parceria contratual. Em outras palavras, uma vez que há sempre o lado das gravadoras e onde é claro, nós temos que ordenhar vacas. Mas elas não estão interessadas no bem-estar do músico ou a qualidade artística da música, mas querem fazer um dinheiro agradável que proporciona sempre lucro. Portanto, em 1996, retirei-me do negócio, e disse:- Nós iremos fazemos o nosso próprio caminho, nossa própria editora, nossa própria empresa e em seguida, poderemos fazer o que quisermos.

Entrevista completa pode ser lida abaixo (em alemão):

http://www.jarrelook.de/aktuelles-details/items/phaedra-meets-oxygene.html

Fonte: Jarrelook.de (thanks Matthias)

Avatar

Marcos Paulo

Fã Clube criado em 1997 nos primórdios da internet no Brasil. Buscamos sempre a realização de ao menos uma apresentação do Maestro Jean Michel Jarre em nosso país.