Da série Relaxa e Goza: Biografia de Jean Michel Jarre na Desiclopédia


Nestes tempos de “vacas magras” do álbum Téo&Téa, descobriu-se uma biografia “mais realista” de Jean Michel Jarre na Desiclopédia, no seguinte endereço: http://desciclo.pedia.ws/wiki/Jean_Michel_Jarre
Para quem não conhece, a Desiclopédia é a versão bem (ou mal) humorada da Wikipédia.
ATENÇÃO: Não visite o site se você não tiver bom humor ou levar as coisas muito a sério.

Avatar

Marcos Paulo

Fã Clube criado em 1997 nos primórdios da internet no Brasil. Buscamos sempre a realização de ao menos uma apresentação do Maestro Jean Michel Jarre em nosso país.

5 thoughts on “Da série Relaxa e Goza: Biografia de Jean Michel Jarre na Desiclopédia

  • Avatar
    10 de setembro de 2007 em 18:04
    Permalink

    Pior que o mal cineasta é o mal crítico.

    Se uns perdem seu tempo a fazer textos de baixa qualidade tentando não encarar a monotonia de suas vidas refugiados nos ecrãs em suas alcovas, que diremos da vida dos que se prestam a criticar-lhes os textos? Deve ser demais movimentada.

    Não troco 1 vida de qualquer dos autores por 7 vidas de seus críticos.

    Não gostou? Faça melhor

  • Avatar
    6 de setembro de 2007 em 12:09
    Permalink

    De facto, corrijo-me, ao adicionar o vocábulo “algumas” antes de “dificilmente”.

    Tais anedotas citadas são algumas das de gosto duvidoso.

    Humor demanda e denota inteligência e conhecimento, o que nesta Desciclopédia como um todo, por vezes falta. Há de se pesquisar mais e ter em conta o que se escreve, por que imagina-se que alguém há de lê-lo.

    Aromático? Talvez a intenção fosse escrever “Aramaico”, a língua utilizada por ninguém menos que Jesus, em sua passagem pela Terra. “Perdoa, Senhor, porque eles não sabem o que dizem”, é o que cabe dizer.

    Diga-me, a língua japonesa, por exemplo, é desconhecida no mundo? Mais de 140 milhões de falantes a torna um idioma pouco utilizado?

    Indiano (talvez quisesse dizer hindi ou hindu) é a língua oficial de Índia, um país com mais de mil milhões de habitantes.

    Há de ser desconhecida, é claro, por alguém que passa seus dias e noites enjaulado numa alcova, frente a um ecrã colorido, como são os frequentadores e redactores desta miserável Desciclopédia.

    Fãs de Jarre hão de ser mais capazes de algo tão pobre e desnecessário, como sítios de tal natureza.

  • Avatar
    5 de setembro de 2007 em 16:22
    Permalink

    Realista, precisa ser fã pra entender as piadas abaixo?

    * É conhecido como “Mago dos Teclados” no Brasil, por esconder seus teclados (vai saber onde) durante suas performances. Ele é mais lembrado pelos shows chatíssimos que passaram na Globo e na Manchete. Como castigo, a segunda faliu.

    * Já em 1984, Jean Michel Jarre gravou “Zoolook”, que foi descrito por ele como “uma tentativa de chegar a uma linguagem universal”. Para isso, o artista usou gravações de vozes em várias línguas bem conhecidas, como o aromático, afegão, árabe, au-au, balinês, buhundi, drack, carioca, esquimó, húngaro, indiano, japonês, klingon, malaio, pigmeu e sumô.

    E outras?

  • Avatar
    4 de setembro de 2007 em 18:28
    Permalink

    Tal artigo é recheado de anedotas de gosto duvidoso, dificilmente compreendidas por alguém que não conheça detalhes da carreira de Jarre.

    Porém, muito bem posto foi o comentário sobre a ‘fase Fábio Jr.’, que de noiva em noiva, acaba sempre por estar só…

Fechado para comentários.