Homenagem a Jean Michel Jarre por fãs

Em celebração aos 20 anos do Jarrefan-Brazil, estamos abrindo espaço em uma pagina especial para que todos os fãs brasileiros e latino-americanos colaborem com algum cover, remix, interpretações ou homenagens a Jean Michel Jarre.  Aqui é seu espaço.

 

Cleverson Casarin Uliana

Ano de nascimento: 1982

Origem: Santo Antonio do Sudoeste, PR

Residindo atualmente no Rio de Janeiro.

O que Jarre te inspira: “Desde que ouço Jarre, começando lá por 1988 (não lembro as datas corretas), a música dele sempre representou um “sair do mesmo”, algo diferente de praticamente tudo que eu escutava especialmente naquela época. A cidade era pequena, meios de comunicação ainda limitados, daí porque o impacto ser maior. Mas mesmo depois, ao menos até 1993 com Chronologie, pra mim foi sempre o caráter inovativo em termos de pesquisas em timbres e efeitos sonoros que mais me atraiu. Acabou que minha influência maior hoje, seja ao escutar ou compor alguma coisa, não é tanto o eletrônico e sim o orquestral clássico, mas acho que o contato com Jarre e depois outros de estilo parecido fez que eu alargasse bastante os horizontes, não ficasse “especializado” numa só coisa como digamos a música clássica.”

 

Cleverson compartilhou 3 faixas de músicas de Jarre realizadas no piano

 

Rendez Vous 3:

 

 

London Kid:

 

September:

Leonardo Prata Jammal

Ano de Nascimento: 1974

Origem: Uberaba – MG

O que Jarre te inspira: ” Desde 1986 quando uma emissora de rádio AM tocou Fourth Rendez-Vous e eu ouvi pela primeira vez uma música do Jarre num velho rádio-gravador que eu tinha em casa, que fiquei fascinado com aquele som espacial e envolvente. Ouvir Jarre é sair da realidade e entrar num mundo diferente e envolvente que me contamina de tal maneira que mesmo escutando milhares de vezes é impossível enjoar. É como se eu estivesse escutando pela primeira vez. Mais tarde quando assisti o concerto de Lyon pela TV (eu perdi o de Houston), percebi que a partir daquele momento Jarre seria tão importante na minha vida como o “oxygene” é para o ser humano.   “

 

Criou um canal no youtube, Canal L€ØИΔЯDØ PЯΔTΔ JΔMMΔL,  dedicado a vídeos raros de Jean Michel Jarre. Com mais de 1 mil inscritos, é o maior canal brasileiro dedicado ao artista.

https://www.youtube.com/user/LPJ1974/videos

 

 

 

Rivaldo “Riva” Lima

Ano de Nascimento : 1975
Local: S.Paulo – Atualmente residindo em Recife-PE

O que Jarre te inspira: “Eu fiquei totalmente fã das músicas do Jarre, tanto que vivia comprando discos dele, com ajuda dos pais, parentes, e amigos… a cada disco que ia comprando ou ganhando, eu com meu teclado, ficava tocando as mesmas notas, como se fosse um membro de uma banda imaginária, onde todos os outros músicos me acompanhassem. A Globo em 1986, exibiu um show dele, gravado em Houston, em homenagem aos astronautas da Challenger, e neste show, ele usava um teclado gigantesco e circular, com teclas imensas, e quando ele tocava nessas teclas, elas iluminavam inteiras, foi o maior impacto visual que tive dum instrumento, aquilo me veio na cabeça na hora ‘é isso o que eu quero ser! Um tecladista!”

Oxygene 2

Equinoxe 5 e 8

Magnetic Fields 2

 

 

Evandro LEE Anderson

Ano de nascimento: 1976

Origem: Sorocaba, SP – Residindo atualmente na Romênia.

O que Jarre te inspira: 

“Tudo começou em meados de 1987. Aquela musica que tocava em todo lugar, radio, televisão, vendedor de pamonha, fundo musical de algum documentário futurista. Mas quem era o musico mesmo ? Na época o acesso a mídia era muito difícil. Até que chegou em casa um vinil chamado Houston/Lyon de um tal Jarre que meu pai me trouxe e então estava lá a tal Rendez-Vous 4. Daquele momento em diante comecei a conectar o musico com outras musicas que já havia ouvido e gostado, mas não sabia de quem era: Night in Shangai, Zoolookologie, Arpegiator, Oxygene 5. Comecei então a odisseia na compra dos vinis e depois CD’s. Foi aí que decidi estudar musica, mais especificamente pelos teclados. Passei a sonhar com um keytar como o de Houston e de um dia poder assistir ao espetáculo ao vivo no Brasil.

 

Consegui realizar os dois (anos depois) mas não importa. Consegui meu AX-SYNTH Roland e assisti a Premiere do Electronica em Barcelona(Espanha) em 2015 a poucos metros da Harpa Laser e outro em Cluj(Romênia). Não consigo ficar sem ouvir ao menos uma vez por dia suas musicas. Seja no carro, no celular ou tocando no teclado. A sua maestria em mesclar ruídos de qualquer natureza transformando-os em melodias através de arpegios perfeitos, tudo sincronizado ou as vezes sem sentido, musica maluca, faz desse cara um marco na linha criativa da musica mundial. Obrigado!”

 

Oxygene part 8:

Oxygene part 2 extended:

Souvenir of China :