JARRE PENSA EM RETORNAR A CHINA EM 2017 !!!

jarre china 3
Jean Michel Jarre na Rep.Popular da China em 1981

Falando ao jornal de Hong Kong, “South China Morning Post Magazine”  em 05/06/2016 o músico lembrou de seus shows no território chinês e revelou que pretende trazer sua turnê para aquele país em 2017.

Quando soube que seria entrevistado pelo South China Morning, Jarre foi logo elogiando:

“Eu amo o seu jornal. Este é o jornal que lemos quando estamos em Hong Kong.”

Jarre foi o primeiro músico ocidental a tocar na China comunista em 1981. Realizou o Concerto de inauguração do Estádio de Hong Kong em 1994. E um concerto na Cidade Proibida em 2004. No momento o músico planeja também uma nova turnê na China, incluindo Hong Kong e colaborações com artistas locais.

TOUR 1981 – PEQUIM E XANGAI:

O "Grão-Mestre da Electricidade " segundo os chineses.
O “Grão-Mestre da Eletricidade ” segundo os chineses.

Referindo-se aos concertos de 1981, diz ele, “Foi num momento em que o povo chinês não tinha ideia quem eram os Beatles ou Charlie Chaplin. Eles não tinham ideia o que a cultura ocidental havia sido nos últimos 30 anos anteriores. Era como tocar na lua.

“Você tem que entender que era um conceito muito revolucionário como um concerto de um ponto de vista ocidental, mesmo se eu tivesse tocado em Paris, Nova York ou Londres, assim que ir para a China já era alguma coisa, mas foi com novos lasers e projeções foi extraordinário [para eles]. Era como se eu tivesse chegado de outro planeta. Eles estavam-me chamando de o Grão-Mestre da Eletricidade “.

Turnê de Jarre na China teve repercussão mundial. Ele foi o primeiro ocidental lá.
Turnê de Jarre na China teve repercussão mundial. Ele foi o primeiro ocidental lá.

Jarre conheceu os membros do público no segundo dia de sua viagem a China em 1981, uma experiência que ele descreve como “um forte momento da minha vida”. Jarre lembrou: “As pessoas estavam apenas penduradas nas paredes, pela necessidade de contato com o exterior. Conheci pessoas cujas mãos haviam sido quebradas durante o tempo maoista, porque eles estavam tocando Ravel ou Debussy. [Estes foram] momentos muito duros e tristes, mas com as pessoas queriam criar um novo link, uma ligação com o mundo exterior “.

handout_23june15_fe_jarre_1050_002_58170989
Jarre foi visto quase como um E.T. de outro planeta na China.

Jarre ainda não sabe a quem agradecer por receber o convite sem precedentes. “Naqueles dias, as pessoas estavam com tanto medo de ir a um gulag chinês ou algo assim, nós nunca soubemos exatamente quem tomou a decisão. Isto aconteceu de uma maneira muito chinesa – misteriosa “.

No entanto, ele sabe que o embaixador britânico em Pequim passou dois álbuns seminais de Jarre,” Oxygène” e “Equinoxe”, para uma estação de rádio chinesa logo após a queda do Gang of Four, quando a música tocada não foi mais ditada pela esposa de Mao, Jiang Qing. Talvez um fator-chave na obra de Jarre sendo abraçada pelas autoridades chinesas foi que sua falta de letras tornou quase impossível uma música sem letras, ofender.

Ele descreve os concertos na China em 1981 como um “choque cultural”, “uma muito estranha, experiência surrealista” e “um destaque da carreira“. Mas é um sinal de quão notável a sua carreira tem sido a de que, no mesmo fôlego, ele menciona “o concerto que fiz com a NASA em Houston [1,3 milhões de americanos acampados para vê-lo] e nas pirâmides para o milênio, e também o concerto em Moscou [com um público recorde de 3,5 milhões de pessoas] e em Docklands [dois concertos encharcados de chuva no leste de Londres para uma  multidão forte de 250.000 pessoas que incluía sua amiga a princesa Diana] …” todos estes grandes concertos são muito queridos para o meu coração“. Jarre nunca se contentou em ficar apenas em um estúdio. Ele é muito bem conhecido por seus mega-concertos que assumem centros das cidades inteiras, eletrificando o horizonte com lasers e luzes.

HONG KONG  – 1994

Hong Kong
Estádio de Hong Kong- 1994

Em 1994, ele fez um enorme concerto para abrir o novo Estádio de Hong Kong. Apesar das vendas esgotadas, foi cheio de complicações. Depois de uma disputa sobre os custos, o governo pediu para Jarre tocar de graça. Ele não se intimidou, dizendo na época: “Eu realmente queria fazer isso. Vejo o estádio como uma oportunidade para dar uma imagem diferente de Hong Kong para o mundo. A cidade e conhecida como um centro de negócios, e esta é uma oportunidade para construir uma ponte para a cultura. “

HACKERS E SEGURANÇA

Jarre diz que não tem medo de ter suas comunicações interceptadas e já foi vítima de um hacker na Croácia.

“Não é uma questão de estar com medo de que sua informação possa ser dada ao mundo, este é o caso. Nós não temos mais uma identidade privada por um bom tempo, realmente. Todos nós. Não é apenas paranóia; isto é um fato. O que estamos dizendo agora é gravado de uma forma ou de outra, se necessário, porque eu deixei o meu iPhone na mesa. Mesmo se ele foi desligado, eles podem usá-lo como um dispositivo [vigilância]. “

Ele refletiu sobre o problema com uma série de obras de arte. Jarre pediu a todos os seus colaboradores as suas impressões digitais, então sobreposto-los para o seu próprio e soprou a imagem em uma obra de arte de dois por dois metros, que ele me mostra em seu telefone. Isto não é um risco de segurança, ele insiste. “De qualquer forma, nossas impressões digitais estão por toda parte, então não é tão importante.”

ATIVISMO

“Eu não gosto de artistas transformando o palco para dizer apenas:  ‘salvar os pinguins ‘ ou  parar entre duas canções, dando aulas para as pessoas. Eu acho que não é o papel de um músico. Mas para tocar o coração das pessoas, e não apenas seu cérebro, eu acho que é algo que os músicos podem fazer de vez em quando. E eu acho que, como provavelmente o mais importante movimento na música nos dias de hoje, a música eletrônica tem que ter algum tipo de consciência política. Particularmente nestes dias, onde muitos adolescentes são atraídos por figuras populistas mais obscuras, como Donald Trump ou Marine Le Pen [líder da Frente Nacional, de extrema-direita] na França, eu acho que é importante, por vezes, apenas para enviar um sinal através de sua arte . “

Fonte:

http://www.scmp.com/magazines/post-magazine/music/article/1962419/why-jean-michel-jarre-invited-edward-snowden


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0