ENTREVISTA – JARRE JÁ TRABALHA NA PARTE II DE “ELECTRONICA”

jarre estudio

Em entrevista pra o site “Digital Journal” no último dia 14 de setembro, o músico francês Jean Michel Jarre, revelou que já está trabalhando na segunda parte do álbum de colaboração “ELECTRONICA“.

A equipe do “Digital Journal” teve a oportunidade de visitar o artista em seu estúdio e conversar com ele:

capture_decran_2015-08-28_a_15.04.06

SEGUNDA PARTE DE ELECTRONICA EM PRODUÇÃO

Jarre já começa a conversa revelando: ” Na verdade, estou falando com você e preparando o lançamento do álbum e ao mesmo tempo, eu estou terminando a produção e a mixagem da segunda parte. A idéia era reunir em torno de mim artistas que são uma inspiração para mim e para cobrir os 40 anos de música eletrônica. Quando eu comecei este projeto, eu não tinha idéia de que todas estas pessoas diriam sim e o projeto cresceu muito mais do que as minhas expectativas. Então, isto é como um filme, eu tive que dividi-lo – por uma questão de tempo – em duas partes do álbum se vai ser lançado em outubro e a segunda parte no início de 2016. Eu estou trabalhando na finalização da parte dois. “

QUEM ESTARÁ NA SEGUNDA PARTE?

“Eles são artistas diferentes, mas todos eles estão ligados à cena da música eletrônica, direta ou indiretamente. Eu não vou, obviamente, dar todos os nomes, porque eu gostaria de mantê-lo uma surpresa. Mas alguns deles são Gary Numan, David Lynch e Hans Zimmer também… Vou revelar mais na época do Natal.

PROJETO FOI FACE A FACE

É impressionante, nesta idade do uso da Internet generalizada e do compartilhamento de arquivos, ter Jean-Michel viajado realmente e extensivamente para garantir suas alianças musicais mais personalizada, face a face.

“Há uma tendência, como se sabe, de enviar arquivos para pessoas ao redor do mundo que você nunca vai encontrar, de uma forma bastante abstrata”, observa. “Alguém irá adicionar uma linha superior ou de uma parte falada, ou o que quer que seja e na maioria das vezes isso acontece por razões de marketing…No meu caso foi realmente ter a idéia de conhecer pessoas, viajar e passar tempo com elas. Então eu fui para a Alemanha para me encontrar com Tangerine Dream e Boys Noize. Eu fui a Richmond para me reunir com Pete Townshend, para Londres para me encontrar com Fuck Buttons e Little Boots. Eu também fui para o Brooklyn para me encontrar com Vince Clarke e Nova Iorque para me encontrar com Laurie Anderson… Em Paris eu conheci pessoas como Gesaffelstein, AIR e alguns outros.”

DEMORA NO ANDAMENTO DO PROJETO

“Eu comecei há quatro anos e tem sido bastante longo por causa das agendas dos artistas, mas também porque todo mundo disse que sim, então eu tive que escrever um monte de música. Meu respeito pelo artista significava que eu compunha especialmente para eles, pensar sobre eles, seu mundo e seu estilo. E também deixar espaço suficiente, obviamente, para eles mudarem o que quisessem, mas na maioria das vezes nós mantivemos a idéia original. “

PRESENÇA DE PETE TOWNSHEND

Alguns fãs irão surpreender com a presença do guitarrista do The Who, Pete Townshend lá: “Pete Townshend era algo muito alto na minha lista de desejos por várias razões… Ele foi o único que apresentou os sintetizadores e sequenciadores a música rock com canções como” Baba O’Riley “. Pete sempre teve a ambição de expandir as fronteiras através da criação de óperas rock como Tommy e Quadrophenia. Isso também é algo que temos em comum, porque eu sempre quis também empurrar os limites das performances no palco, usando técnicas de cenografia e visuais. “

O PIANISTA CLÁSSICO LANG LANG

“Como você pode entender, cada colaboração é muito especial e não há faixas secundárias… Eu diria que uma experiência extraordinária que tive foi com Lang Lang. ‘Por Lang Lang? Ele não é apenas um pianista clássico, ele tem uma abordagem muito organizada para seu instrumento e seu som. Quando ele toca piano, ele explora o som e a experiências sobre ele. Tudo isto faz com que esta faixa seja muito especial, mas eu não diria que eu prefiro este sobre qualquer um dos outros. Esta foi uma das faixas mais incomuns para conceber “.

SHOWS – TURNÊS – LUGARES ESPECIAIS PARA TOCAR?

“No momento eu estou realmente focado na música. Eu gostaria de abordar o conceito de festivais. É uma equação interessante ir a um lugar onde o público não é necessariamente lá para você… Eu estou planejando uma turnê mundial e no caminho talvez tenhamos alguns projetos ao ar livre.

 Mas hoje em dia, infelizmente, com ameaças e terrorismo e as questões de segurança, fazendo shows no exterior não é como antes. Não é assim tão fácil de encontrar o lugar certo, mas estamos trabalhando nisso. “

 

Fonte: Http://www.digitaljournal.com/a-and-e/music/interview-jean-michel-jarre-invites-us-into-his-time-machine/article/443783