JEAN MICHEL JARRE NA “MOJO MAGAZINE” SET/2015

mojo capa
MOJO MAGAZINE – SET/2015

A próxima edição da aclamada revista britânica “MOJO Magazine” – nº262 – Setembro/2015 (que geralmente é disponibilizada em Agosto), está trazendo uma reportagem de uma página: “No estúdio com Jean Michel Jarre”, com o título de ” WHATS GOES ON – The electronic instigateur calls on heavy friends for pan-generational inspiration”, onde também existe uma entrevista e alguns novos detalhes sobre o lançamento do álbum “E-Project” (título provisório). Jarre fala sobre o futuro lançamento e sobre como colaborou com vários artistas da música eletrônica.

Entre as novidades especiais:

– O álbum foi criado entre Paris, Londres, Los Angeles e Berlim.

– O álbum é todo dedicado a Edgar Froese, fundador do Tangerine Dream, e parceiro na colaboração da faixa “Zero Gravity”.

– Entre os artistas que estarão no álbum estão: Pete Townsend, Laurie Anderson, Fuck Bottons, John Carpenter, Moby, M83, Armin van Burren, AIR e Vince Clarke.

– Os nomes de novas músicas são revelados: “Rely On Me”, “Travelator Part 2” e “A Question Of Blood”. Sem especificar realmente quem são os colaboradores.

Segundo Jean Michel Jarre:

“Eu tive este novo projeto em mente a muito tempo. E acabou se tornando algo muito maior do que eu planejei.”

A música eletrônica“, Jarre reflete. “Eu fui uma das primeiras pessoas realmente envolvidas com isto, nos dias em que eramos considerados um bandos de malucos que trabalham com sintetizadores, que não eram sequer considerados instrumentos reais. Hoje em dia sabemos que a música eletrônica é provavelmente o maior gênero de música do mundo, mas é muito mais amplo do que o EDM (música eletrônica de dançar). Então eu pensei que seria legal para trocar idéias e sentimentos, para mesclar DNAs e misturar energia com artistas de diferentes épocas e gerações “.

Sobre o último trabalho de Edgar Froese, na faixa “Zero Gravity”:

 “Foi gravado apenas antes dele falecer “, diz Jarre. “Tangerine Dream e eu mesmo começamos mais ou menos ao mesmo tempo, mas não sabiamos mesmo que estávamos fazendo a mesma música.”

 “Eu perguntava com eles, para voltar as origens do Tangerine. Tudo é um sonho, com o grande modular Moog, o puro som eletrônico, este som tipo humor sci-fi que eles expressavam no início. Eu devo dizer que temos uma sincronia imediata. Você pode sentir muito de nossos mundos, nós realmente conseguimos mesclar nossos sons. Obviamente, este álbum inteiro vai ser dedicado a Edgar Froese. “

 ” A idéia não era para trabalhar com os colaboradores de uma forma artificial, quando você nem sequer conhecer as pessoas. Isto foi realmente feito fisicamente para compartilhar músicas e emoções. Eu não tinha mesmo certeza que essas pessoas que eu me aproximei estariam interessadas. Fiquei realmente espantado e acabou-se que todos eles disseram que sim… Eles se tornaram os tipos de amigos, no caminho. “

Jarre finaliza achando a criação do álbum “uma experiência energizante“:

“Quando você tem feito um monte de álbuns, se você não se sentir como algo que você tenha a se expressar, então não é melhor fazê-lo “, “E este projeto, eu tinha que fazer isso. Desde o primeiro dia eu tinha exatamente o mesmo tipo de excitação que eu tinha antes mesmo de Oxygene. Eu acho que não é uma questão de tempo. As ferramentas e os parâmetros de criatividade são, provavelmente, uma mistura de inocência e desejo, e que é absolutamente atemporal. “

A revista é vendida no Reino Unido, lojas online e algumas edições costumam aparecer nas bancas nacionais das grandes cidades brasileiras.

 O scan da pagina (clique nela para aumentar):

mojo-setembro

Fonte: MOJO MAGAZINE / Thanks Kanta Devi (scans)