Jarre se torna diretor artístico de corrida mundial de dirigíveis

Unesco
Unesco

No ultimo dia 25 de fevereiro de 2009, o músico francês e Embaixador da Boa Vontade-UNESCO, Jean Michel Jarre, concordou em se tornar Diretor Artístico da “World Sky Race”, a primeira volta ao mundo em um dirigível promovido pela Unesco e pela ONG World Air League. A “World Sky Race”, irá percorrer o mundo,  a partir de 2010, para promover meios de transportes mais limpos e alertar as pessoas sobre os problemas da poluição no meio ambiente.

A corrida, na realidade, 16 corridas em sequências ao longo de alguns sítios de Patrimônio Unesco. Ela ocorrerá à partir de 2010 sobre algumas obras-de-arte da natureza, como o Monte Fuji, e do gênio humano, como o Taj Mahal, as pirâmides egípcias, a Grande Muralha da China, o Coliseu de Roma e tantos outros lugares. Será um evento histórico do século XXI, transmitido ao vivo pela National Geographic, BBC, CNN, CCTV e Al Jazeera.

Jean Michel Jarre junto com Don R. Hartsel, CEO da World Sky Race

Grande impacto emotivo, mas não só. A World Sky Race tem por objetivo marcar um novo recorde da aviação e combater o uso dos combustíveis poluentes nos transportes. As ‘skyship’, os dirigíveis, podem reduzir o consumo de combustível em 89 por cento respeito aos veículos de longo transporte e podem cortar o consumo energético e as relativas emissões de gases que provocam o efeito estufa em 75 por cento se comparado aos transportes de estrada.

Infelizmente, apesar do Brasil possuir alguns patrimônios da UNESCO, a corrida não passará no nosso país.

Site oficial: www.worldskyrace.com/

FONTE: Unesco

Marcos Paulo

Fã Clube criado em 1997 nos primórdios da internet no Brasil. Buscamos sempre a realização de ao menos uma apresentação do Maestro Jean Michel Jarre em nosso país.

Um comentário em “Jarre se torna diretor artístico de corrida mundial de dirigíveis

  • 3 de março de 2009 em 15:35
    Permalink

    Mais uma iniciativa interessante por parte da Unesco, com colaboração de Jarre.

    E infelizmente, o Brasil fica cada vez mais longe da vanguarda tecnológica, preocupado em demasia com seus veículos movidos a álcool. Este álcool extraído da cana-de-açúcar, colhida à base de trabalho desumano e semi-escravo.

    Enfim, que seja uma grande corrida, com belas paisagens e muitas consciência ambiental.

    Forte abraço!

Fechado para comentários.