TWELVE DREAMS OF THE SUN

Jean-Michel Jarre não tinha intenções ou planos de fazer algo especial para o réveillon do ano 2000. Ele queria passar a virada com amigos e descansar. Mas mudou de ideia quando o presidente egípcio Hosni Moubarak, entrou em contato com ele com um projeto especial para comemorar o início do novo milênio aos pés da única das 7 maravilhas do mundo antigo existente: as Grandes Pirâmides de Gizé. Como recusar um projeto desses?

Jarre pensou em uma ópera multimídia que começaria no início do pôr do sol, prosseguindo por um período de 12 horas e terminaria durante o primeiro nascer do sol do novo milênio.

O palco do concerto precisou ser construído a um quilômetro e meio das pirâmides para que o local fosse preservado da deterioração que poderia ser causada devido à grande quantidade de pessoas e equipamentos. Além disso, os grupos islâmicos criticaram ao ver que o concerto violaria suas orações ao Ramadã. Outro fatos a serem levados em consideração seriam os custos orçamentários e os fatores de instalação do piso para o público e o palco em si para não danificar nenhuma área circundante no local.

Finalmente, depois de um longo e difícil planejamento, o concerto foi aprovado. Jean-Michel Jarre intitulou a ópera multimídia de Twelve Dreams of the Sun (Os Doze Sonhos do Sol). De acordo com a Mitologia Egípcia, doze fases solares são assimiladas em ‘presentes’ ao Deus Sol Egípcio como uma declaração da humanidade: tempo, proteção, sabedoria, eternidade, fidelidade, memória, espaço, inocência, celebração, pureza, coragem e liberdade.

Todo o evento foi dividido em 4 partes:

18:30 – A VIAGEM DO SOL
O último pôr do sol de 1999 com as pirâmides de Gizé ‘vestidas’ de verde, reivindicando a posse da noite. O produtor musical francês Frederic Sanchez fez uma mixagem de paisagens sonoras para a viagem noturna do sol.
22:30 – OS DOZE SONHOS DO SOL
É a vez de Jean-Michel Jarre com o seu show espetacular, retratando a viagem imaginária do sol ao novo milênio: um conto de doze sonhos levando o passado ao futuro através de cenários e encenações inspiradoras.
1:30 – A HOMENAGEM ORIENTAL AO SOL
Artistas locais sobem ao palco para oferecer um banquete de músicas e danças orientais.
5:00 – O NASCER DO SOL
Depois que a oração da manhã ressoa no Cairo, Jean-Michel Jarre e sua Le Tribe retornam ao palco para dar as boas-vindas ao primeiro nascer do sol do novo milênio.

O concerto começou com as batidas na bateria do novo integrante da Le Tribe Gary Wallis, para a introdução de “Bells”, a primeira das novas músicas que foram apresentadas naquela noite, que fazem parte do álbum Metamorphoses, lançado no final de janeiro de 2000.

Como já aconteceu outras vezes, o concerto não ocorreu como o esperado, pois muitos obstáculos aconteceram. Gary Wallis adoeceu no dia do show e teve que tomar muitos medicamentos para ficar em forma e bem o suficiente para se apresentar à noite. O outro fator decepcionante da noite foi uma forte neblina que ofuscou a visão das pirâmides, o que fez com que algumas das imagens projetadas ficassem invisíveis. Poucas foram usadas. Por causa disso, apenas luzes coloridas foram projetadas para facilitar a visão das pirâmides para o público.

Outro problema que Jean-Michel encontrou foi com a música “Revolutions”. Essa palavra é proibida de ser mencionada ou escrita em qualquer texto no Egito e a palavra ‘sex’ é banida. A solução foi renomear a música para “Evolution” e a parte ‘Sex, No Sex’ da letra sendo substituída por ‘Love’, entre outras palavras egípcias. As músicas mais antigas de Jean-Michel também receberam novas versões usando instrumentos egípcios, para se ajustar ao ambiente do país.

A cantora Natacha Atlas e vários artistas egípcios participaram do evento. A artista multimídia Laurie Anderson gravou as mensagens dos sonhos do sol que foram exibidas em um telão. Em um tributo para um ícone do povo egípcio, Jarre usou um velho gramofone para tocar uma música da cantora, compositora e atriz egípcia Umm Kulthum, declarando que quando era criança sonhava em se casar com ela. Finalizando o concerto ao amanhecer de 1º de janeiro, uma enorme procissão beduína passou pelo deserto ao som de “Eldorado” acompanhando o nascer do sol. Cerca de 120.000 pessoas assistiram ao evento.

Tracklist:

The Legend: The Twelve Dreams of the Sun

  1. Bells
  2. Je Me Souviens

Dream 1: The Rock – The Sun Dreams of Time

  1. Miss Moon
  2. Oxygène 2

Dream 2: The House – The Sun Dreams of Protection

  1. Chronologie 6

Dream 3: The Tree – The Sun Dreams of Wisdom

  1. Equinoxe 7
  2. Magnetic Fields 2

Dream 4: The Boat – The Sun Dreams of Eternity

  1. Millions Of Stars

Dream 5: The Flesh – The Sun Dreams of Fidelity

  1. Souvenir of China
  2. Oxygène 10

Dream 6: The Voice – The Sun Dreams of Memory

  1. Umm Kulthum Tribute

Dream 7: The Sky – The Sun Dreams of Space

  1. Hey Gargarin
  2. Gloria Lonely Boy – Millennium
  3. Millennium Countdown

Dream 8: The Child – The Sun Dreams of Innocence

  1. C´est la Vie
  2. Salma y Salama

Dream 9: The Bell – The Sun Dreams of Celebration

  1. Equinoxe 4

Dream 10: The Snow – The Sun Dreams of Purity

  1. Oxygène 4
  2. Tout Est Bleu

Dream 11: The Blood – The Sun Dreams of Courage

  1. Evolutions
  2. Oxygène 12

Dream 12: The Gate – The Sun Dreams of Freedom

  1. Give Me A Sign
  2. Oxygène 8
  3. Band in the Rain
  4. Rendez-Vous 2

Sunrise Concert:

  1. Ethnicolor
  2. Oxygène 7
  3. C’est la Vie
  4. The Sun
  5. Hey Gagarin
  6. Eldorado

Le Tribe: Joachim Garraud, Francis Rimbert, Christopher Papendieck e Gary Wallis

Orquestra: Cairo Opera Symphonic Orchestra

Coral: Cairo Opera House

Artistas convidados: Natacha Atlas, Amal Maher, National Arabic Ensemble, National Folkloric Music Troupe, El Nil Folkloric Music Troupe e Aswan Folkloric Music Troupe

Registros:

THE MILLENNIUM CONCERT (Photobook)

Fotos (clique nas imagens para ampliar):