Biografia

Concerto de Mônaco – Casamento Real

Em paralelo à sua turnê pela Europa, o ano de 2011 também foi marcado por um grande projeto. Um convite do Governo do Principado de Mônaco, para a celebração do casamento real do Príncipe Albert II com a ex-nadadora sul-africana, Charlenne Wittstock. Foram dois dias de festividades, que contou com um concerto ao ar livre e gratuito de Jean Michel Jarre no Porto Hercule, em 1º de julho.

Jarre recebe o casal real: os Principes Albert II e Charlenne.

O público gigantesco (por volta de 80 mil pessoas) se reuniu em torno do porto e nas colinas do Principado para ver a produção futurística criada pelo músico francês, que  incluiu um palco de 200 metros situado no coração de Mônaco. Ganhou grande destaque na mídia mundial e foi visto por milhões de pessoas ao ser transmitido para todo o Principado através de telões e transmissão internacional por satélite e Internet. Além da rede Euronews (transmitida para mais de 153 países), e suas afiliadas em todo o mundo, o evento gerou uma repercussão enorme em toda a Europa, Índia, China, América do Sul e EUA. No Brasil o concerto foi destaque nos telejornais e na imprensa escrita (jornais e revistas), sendo transmitido online pelo provedor UOL. Durante o evento de quase três horas, foi classificado em 6° lugar no Twitter Trends. Estima-se que a audiência tenha chegado a 3 bilhões de pessoas em todo planeta.

O casal fez questão de subir ao palco para agradecer Jarre e ao público presente. Durante a realização do concerto, Jarre tocou uma marcha nupcial para o casal real.

O ano de 2011, marcou também o lançamento da coletânea dupla “Essentials & Rarities”, dividida em dois discos. O primeiro, “Essentials” é um ‘best of’ com os seus maiores sucessos que, segundo ele, foi uma homenagem ao seu ex-produtor e amigo, Francis Dreyfus, falecido um ano antes, e na qual tinha se reconciliado. O segundo disco, “Rarities”, reúne várias músicas lançadas antes do sucesso de Oxygene, incluindo seus primeiros trabalhos eletrônicos, como o single “La Cage” e a faixa nunca lançada oficialmente “Happiness is a Sad Song” de 1968. Ambas foram produzidas quando Jarre estava no GRM (Groupe de Recherches Musicales) de Pierre Schaeffer.

Em março de 2012, recebe do Presidente francês Nicolas Sarkozy, a sua segunda distinção do Legião da Honra, ao ser nomeado “Officier”.

Jarre se torna Oficial da Legião da Honra na França

Em outubro, Jarre realizou o único do concerto do ano. Foi um evento privado em Varsóvia, na Polônia, para a companhia de seguros Warta. O músico começou a trabalhar em um projeto de um álbum com colaborações, o que fez com o que o artista passasse a viajar regularmente entre os EUA, Reino Unido, França e Alemanha. Não deixando para trás, seu trabalho à frente da UNESCO, como Embaixador da Boa Vontade.

Em agosto de 2013, Jarre realizou um concerto outdoor, nas ruínas do anfiteatro romano de Cartago na Tunísia, para um festival de música no país. Perto do Natal, fez um show indoor privado para a companhia russa de petróleo GAZPROM, durante a inauguração de um novo centro comercial e popular, que seria usado para as Olimpíadas de Inverno em Sochi. O mini-concerto contou até com patinadores e um novo show de luzes e projeções.

Em setembro, Jarre anunciou um novo contrato com a Sony Music da Alemanha e o relançamento de seu catálogo antigo (e os futuros álbuns) pela nova gravadora, através do selo BMG

Dois álbuns com convidados especiais

2015 chega com Jarre anunciando o lançamento de um novo álbum inédito. A primeira amostra deste trabalho foi a música “Glory”, uma colaboração entre Jarre e a banda M83, que fez parte do curta “EMIC”, um web-documentário patrocinado pelo Google e pelo filme “Interstellar”. Outras colaborações, foram lançadas no formato de EPs: Watching you” (com o Massive Attack), “Zero Gravity” (com Tangerine Dream) e “Conquistador” (com o DJ Gesaffelstein), todos oficialmente lançados em junho de 2015. O álbum, intitulado “Electronica 1: The Time Machine”, foi finalmente anunciado em agosto e lançado em outubro. Além dos artistas já citados, o álbum traz colaborações de Boys Noize, Air, Vince Clarke, Little Boots, Moby, Fuck Buttons, Pete Townshend, Laurie Anderson, Armin van Buuren, John Carpenter e Lang Lang numa mistura bem dosada da música de Jarre com a de seus convidados.

Jarre no Grammy Awards 2017

Em junho, é lançado o projeto transmídia “Soundhunter”, uma experiência através do qual visa capturar amostras sonoras do mundo e transforma-las em música. É composto por um documentário na web que cobre o processo criativo do álbum Zoolook, envolvendo os artistas internacionais Simonne Jones, Mikael Seifu, Daedelus e Luke Vibert. Também fazem parte do projeto, um documentário de 52 minutos dirigido por Beryl Koltz que foi transmitido no canal franco-alemão ARTE e finalmente, um tributo em um álbum com músicas escolhidas pelo Jarre intitulado “Zoolook Revisited”. O projeto participou de vários festivais e ganhou diversos prêmios. Entre eles, o Fipa de Ouro, na categoria Smart Fipa, no Festival Internacional de Programas Audiovisuais, em Biarritz (França) e o “grande prêmio” e o “prêmio inovação” no Festival de Chengdu, na China. Além disso, o projeto também fez parte da seleção oficial do Prêmio Europa, em Berlim.

A Sony Music lança em 28 de agosto, uma nova coletânea intitulada “Essential Recollection”. Em 19 de setembro, o canal ARTE transmite o documentário de 53 minutos “A Journey into Sound” dedicado mais precisamente ao álbum Electronica, mostrando como Jarre conseguiu gravar um álbum com as maiores lendas da música eletrônica, materializando reuniões tão emocionantes quanto às vezes inesperadas com artistas de horizontes muito diferentes.

Electronica Tour

“Electronica 2: The Heart of Noise” é lançado em maio de 2016 com a participação de mais 15 colaboradores: Pet Shop Boys, Rone, Julia Holter, Primal Scream, Gary Numan, Hans Zimmer, Edward Snowden, Peaches, Sébastien Tellier, The Orb, Siriusmo, Yello, Jeff Mills, Cyndi Lauper e Christophe. O álbum foi nomeado para mais um “Victoires de la Musique” na categoria “Álbum de música eletrônica ou dance” e Electronica 1 concorreu ao Grammy Awards 2017 na mesma categoria. Infelizmente, Jarre não foi o vencedor de nenhum dos dois prêmios.

Jean Michel Jarre também foi convidado a fazer uma série de composições musicais, que são usadas pelo canal francês FRANCE INFO em diferentes plataformas de mídia. O projeto acabou gerando a gravação de um álbum exclusivo, o “Radiophonie vol. 9” lançado no início de 2017 com tiragem limitada a 1000 cópias.

Tocando nas Américas

Para promover os dois volumes do Electronica, Jarre inicia em junho de 2016 uma turnê mundial, que começou no Festival Sónar em Barcelona, e só terminou em setembro de 2018, com um espetacular concerto outdoor em Riade, na Arábia Saudita, com projeções a laser nos arranha-céus do centro financeiro da cidade. Durante essa turnê, Jarre retornou aos EUA, onde não tocava desde o concerto Rendez-Vous Houston em 1986. Também tocou pela primeira vez no Canadá (realizando três shows nas cidades de Toronto, Montreal e Vancouver) e na América do Sul, onde se apresentou na Argentina (Buenos Aires) e em Santiago do Chile. Infelizmente, não foi dessa vez que os fãs brasileiros realizaram o sonho de assistir a um concerto de Jarre por aqui, pois o Brasil não foi incluído nessa turnê.

40 anos de dois clássicos

Para comemorar os 40 anos de seu clássico álbum Oxygene, é lançado em 2 de dezembro de 2016, o álbum “Oxygene 3” e o box-set “Oxygene Trilogy” reunindo os três álbuns. A ideia do álbum, surgiu quando Jarre estava gravando o Electronica e compôs uma música que o fez pensar sobre o que o Oxygene poderia se tornar, caso estivesse sido composto nos dias atuais. Então, o 40º aniversário do primeiro álbum, serviu de prazo para ver se ele poderia criar esse novo capítulo em seis semanas, assim como fez em 1976. A ideia não era copiar o Oxygene original, mas sim, manter o dogma de embarcar os ouvintes em uma viagem do começo ao fim com diferentes capítulos, todos ligados uns aos outros.

Oxygene Trilogy

Em 2017, Jarre colabora com a banda virtual britânica Gorillaz, participando de três faixas do álbum “Humanz”. Ele também fez uma participação especial tocando sintetizadores na música “We Got the Power”, durante um show da banda na casa noturna Printworks, em Londres.

Um evento especial e em grande escala, foi realizado em Massada, Israel, em 06 de abril de 2017, para a conscientização das questões ambientais que o Mar Morto enfrenta. O concerto “Zero Gravity” serviu para alertar e chamar a atenção para a urgência de salvar o Mar Morto, pois ele corre o risco de desaparecer em um curto espaço de tempo. “The Connection Concert” foi outro evento paralelo da Electronica Tour. Realizado no Mosteiro de Santo Toribio de Liébana, na Espanha, no dia 29 de Abril de 2017, para a abertura do Ano Santo Lebaniego.

Jean-Michel Jarre comemora 50 anos de carreira, lançando em setembro de 2018, a coletânea dupla “Planet Jarre”, com 41 faixas, incluindo inéditas e raridades. O álbum foi lançado durante um evento no Planetário de Hamburgo, na Alemanha. Neste mesmo evento, Jarre surpreendeu a todos com o anúncio do “Equinoxe Infinity” para celebrar os 40 anos de lançamento do álbum original. Ao contrário de Oxygene, este novo álbum não é uma continuação direta do primeiro Equinoxe. É, na verdade, a trilha sonora de um cenário que foi criado, tendo os personagens da capa original como principais coadjuvantes. Os “Watchers” simbolizam todas as máquinas que nos cercam e nos observam. De acordo com Jarre, no alvorecer da explosão da Inteligência Artificial, essas máquinas podem ter o poder algum dia e devemos ter o interesse em evoluir com boa inteligência, tecnologia e meio ambiente. O álbum foi lançado com duas capas diferentes. Uma, em tons azuis e verdes, representando um mundo pacífico. A outra mostra um mundo apocalíptico em que a humanidade não escaparia.

A Autobiografia

Jarre durante a turnê literária de “Mélancolique Rodéo”

2019 começa com uma parceria entre o músico francês e o conglomerado bancário HSBC. A faixa “Together We Thrive” é uma identidade sonora criada pelo artista na nova campanha da instituição. São sete composições distintas criadas para se adaptar aos 66 mercados mundiais da marca. A nova identidade sonora será ouvida pelos clientes do HSBC em contato com call centers localizados no Canadá, China, Hong Kong, Reino Unido, França, México, Cingapura, Malásia, Indonésia, Bermudas e EUA.

Em 3 de outubro, a editora francesa Robert Laffont publicou “Mélancolique Rodéo”, a autobiografia de Jean-Michel Jarre. Ele realizou uma turnê literária promocional, visitando várias cidades francesas, concedendo entrevistas e atendendo aos fãs em sessões de autógrafos. A partir do segundo semestre de 2020, estão previstas traduções para outros idiomas, começando pelo inglês, espanhol e alemão.

No dia 7 de novembro, Jarre anunciou o lançamento do “EōN”, um aplicativo para o sistema operacional iOS. Este aplicativo contém gráficos transformadores criados por um algoritmo desenvolvido por Alexis André, da Sony Computer Science Laboratories. Consiste de música gerada a partir de 7 horas de material gravado pelo Jarre. Toda vez que o aplicativo é iniciado, ele toca uma música que nunca mais vai se repetir e a música é sempre diferente em todos os dispositivos, criando assim um álbum infinito. “Snapshots from EōN”, um box-set deluxe limitado em 2.000 cópias foi lançado posteriormente, com trechos do aplicativo e um livro de imagens. No dia 19 de fevereiro de 2020, foi disponibilizada uma atualização do aplicativo, com novos elementos visuais, melhorias técnicas, suporte para AirPlay e novas amostras musicais.

Azimuth Festival

Jarre no sítio arqueológico de Azimuth
Jarre no sítio arqueológico de Al Ula

O primeiro grande acontecimento de 2020, foi um concerto no Azimuth, um festival cultural de três dias, realizado no sítio arqueológico de Al Ula, na Arábia Saudita, um ano e meio após o “Green Concert” na capital Riade. Tocando o mesmo repertório da “Electronica Tour”, porém com um set mais curto por se tratar de um festival, Jarre estava acompanhado de Claude Samard e de uma nova integrante na Le Tribe: a tecladista Narumi Herisson, que está substituindo Stéphane Gervais, após ele deixar o grupo em janeiro de 2019. Jarre prestou um tributo ao festival tocando uma nova música, intitulada “Azimuth”. No dia 17 de março, saiu uma atualização do EōN. Dessa vez, o aplicativo recebeu uma nova interface de menu, e um novo recurso para compartilhamento em redes sociais.

Em 15 de abril, Jarre participa do “ResiliArt Debate”, em parceria com a UNESCO, para soar o alarme sobre o impacto da pandemia do COVID-19 sobre os meios de subsistência de artistas e profissionais da cultura. Jarre aproveitou o debate, para falar mais sobre a necessidade de reforma dos direitos autorais em todo o mundo, de como lidar com os desafios específicos colocados pela era digital e do domínio na Internet de um pequeno número de gigantes da tecnologia, como o Google, Facebook, a Apple e a Amazon.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0