2010 – Nos bastidores da turnê mundial

O jornal francês GALA.FR, na ocasião da vinda de Jean Michel Jarre a Paris para seu show em Bercy, e o portal on line belga, DHNET.BE, na ocasição do show na Bélgica, fizeram entrevistas com Jarre que revelou detalhes da turnê:

Gala: Feliz por estar em turnê novamente?
Jean-Michel Jarre: “Muito feliz. Numa altura em que muitos artistas da minha geração dizer adeus ao estádio, começo minha turnê de um principiante. Vai levar-me, pela primeira vez em todo o mundo e em todos os continentes. Desde muito tempo, eu queria transmitir a magia dos meus grandes shows em espaços ao ar livre em lugares “controlados” imune aos caprichos do tempo.”

Gala: Você que tocou em lugares espetaculares como a Cidade Proibida de Pequim e as pirâmides do Egito, não se sente um pouco apertado nestas salas?
JMJ:” Não de tudo. Uma área fechada também me dá muita liberdade. Ela não só me permite duas partes e um show de meia hora em uma proximidade real para o público, mas também para proporcionar uma imersão total com som e cenografia como uma espécie de prolongamento visual da minha música. Eu toco as peças mais famosas do meu repertório, mas também coisas novas, que nascem e crescem a cada noite para aparecer em um próximo álbum.”

Gala: Você é um verdadeiro chefe, você controla tudo. Nada a ver com o mito da estrela de rock que chegou uma hora atrasado …
JMJ:” Esse tipo de comportamento muito anos setenta parece ultrapassada. Hoje, um artista tem para oferecer o melhor para as pessoas que fazem o esforço em tempos de crise,para comprar um ingresso. Cada show que eu dei, eu me preparei como se fosse único. Durante os ensaios,eu sempre ia sentar em lugares diferentes na sala para verificar a qualidade do som. Eu nunca considero as coisas como feitas, sinto-me os nervos mesmo, as mesmas dúvidas. É como se tivesse a impressão de rascunhos e que a cópia ainda está para vir. Estranhamente, eu ainda estou surpreso que as pessoas estão vindo!”

DHNET.BE : No ano passado, você perdeu seu pai, Maurice Jarre. Como você tomou este luto?
JMJ:”Nunca se volta de uma perda como esta. E é ainda mais difícil quando nós dizemos adeus a um dos pais do mesmo sexo como a si mesmo. Vendo a do meu pai, que mudou completamente a visão que eu coloquei no mundo e, especialmente, na hora certa. Antes eu via a passagem do tempo. Hoje, vejo o tempo restante … ”

DHNET.BE: Mas você vai comemorar seu 62 anos. Como você é um avô muito conectado?
JMJ: “Não há nenhum segredo. Mas a minha é a música. E o desejo de fugir da estabilidade, para ir com o fluxo de projetos, idéias, desejos. O dia em que a noção de desejo desaparecer, eu vou fazer minhas malas sem escrúpulos. ”

DHNET.BE: Falando em fazer as malas, você já fez o cálculo do número de milhas que você viajou o mundo?
JMJ: “Agora que tenho a função GPS no meu iPhone, isto poderia me salvar. Será mais fácil de encontrar. Por enquanto, nenhuma idéia … Quando você ama, você não conta.”

DHNET.BE: Depois de La Defense, as pirâmides de Gizé, a Praça Tiananmen e outros lugares no passado, onde você ainda sonha em tocar ?
“Este é o meu sonho, e eu acredito firmemente: na LUA!”

FONTES:
http://www.gala.fr/l_actu/on_ne_parle_que_de_ca/jean-michel_jarre_on_the_road_200430
http://www.dhnet.be/cine-tele/musique/article/303492/jarre-je-veux-jouer-sur-la-lune.html

Avatar

Marcos Paulo

Fã Clube criado em 1997 nos primórdios da internet no Brasil. Buscamos sempre a realização de ao menos uma apresentação do Maestro Jean Michel Jarre em nosso país.